Ale Cabral/CPB
Ale Cabral/CPB

Aline Rocha alcança top 10 do esqui cross-country na Paralimpíada de Inverno

Atleta paranaense completa o percurso de 7,4 km em 30min07s, na prova de média distância, e fica com o décimo lugar entre 16 participantes

Redação, Estadão Conteúdo

12 de março de 2022 | 12h49

O esqui cross-country do Brasil conseguiu ficar no top 10 da disputa feminina na madrugada deste sábado, penúltimo dia de competições dos Jogos Paralímpicos de Pequim. A paranaense Aline Rocha completou o percurso de 7,4 km em 30min07s, na prova de média distância, e ficou com o décimo lugar entre 16 participantes.

"Estou feliz, foi uma prova difícil, assim como as outras. Mas acredito que fiz uma boa participação, melhorei muito de PyeongChang 2018 para cá, não caí em nenhuma prova. Gostei do meu resultado, uma honra estar aqui representando meu país mais uma vez", afirmou a atleta, que terminou a prova em 12º lugar na edição de 2018 dos Jogos.

A média distância é uma das especialidades de Rocha, não à toa ela foi quinta colocada do mundial de Lillehammer, na Noruega, disputado em janeiro. Em Pequim, contudo, sua melhor participação foi na prova longa, na qual terminou em sétimo lugar. Na prova de Sprint, ela ficou em décimo, assim como neste sábado, quando alcançou nova décima colocação.

A prova foi vencida pela chinesa Yang Hongqiong, que fez uma descida de 24min47s e conquistou o terceiro ouro consecutivo. A norte-americana Oksana Masters, lenda paralímpica, ficou com a medalha de prata, após tempo de 25min24s, e Jing Ma, também da China, anotou 26min22s para ficar com a medalha de bronze.

MASCULINO

Enquanto isso, na disputa masculina dos 10 km do esqui cross-country, na qual o Brasil teve quatro representantes, Cristian Ribera foi o melhor colocado. O rondoniense completou a prova em 36min09s e fechou a participação na 13ª colocação, resultado bastante celebrado diante das dificuldades de superar a soberania da China, que colocou Zhongwu Mao no primeiro lugar do pódio e Peng Zheng no segundo. O italiano Giuseppe Romele , dono do bronze, foi o intruso entre os medalhistas.

"A neve estava muito ruim, muito diferente do primeiro dia que a gente competiu aqui. O percurso é muito difícil, e venceu quem foi o mais bruto. Claro que tem que ter muita técnica também, mas o mais bruto foi o campeão. E foi um chinês de novo, pelo menos o italiano foi ao pódio, não deixou pódio só de chinês. Fiquei feliz porque fiz uma estratégia diferente, eu saí forte, fui morrendo aos poucos, gostei, consegui manter, na medida do possível, o ritmo, e cheguei morto de cansado", comentou Cristian.

O segundo brasileiro melhor colocado foi o paulista Guilherme Rocha, que fez 37min23s e ficou em 18º lugar. Já o paraibano Robelson Lula terminou em 20º, com 38min20s, e outro paulista, Wesley Santos, acabou na 27ª posição, com 41min12s.

Os esquiadores brasileiros voltam a competir a partir das 23 horas deste sábado, na prova do revezamento misto, que encerrara participação do Brasil nos Jogos de Inverno. O time será formado por Aline Rocha, Cristian Ribera, Guilherme Rocha e Robelson Lula.

Tudo o que sabemos sobre:
Paralimpíadaesqui

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.