Divulgação
Divulgação

Alison dos Santos ganha caminhão de tubaína após promessa e bronze em Tóquio

Destaque do atletismo brasileiro no atletismo no Japão, velocista prometeu não beber o refrigerante, seu favorito, até competir nos Jogos Olímpicos

Felipe Rosa Mendes, Estadao Conteudo

13 de agosto de 2021 | 16h22

Um ano e meio e uma medalha de bronze depois, Alison dos Santos enfim voltou a beber tubaína, seu refrigerante favorito. O destaque brasileiro do atletismo na Olimpíada cumpriu sua promessa de não tomar a bebida até competir na Olimpíada de Tóquio e foi recompensado por isso nesta sexta-feira: ganhou nada menos que um caminhão do refrigerante.

Alison foi pego de surpresa na tarde desta sexta ao receber 300 garrafas de Itubaína em sua casa na cidade de São Joaquim da Barra, interior de São Paulo. Ele também ganhou 117 quilos de produtos da marca Seara. O refrigerante a base de guaraná e morango foi assunto de diversas entrevistas do atleta no Japão.

Antes de levar o bronze nos 400 metros com barreiras em Tóquio, Alison revelara à imprensa que havia feito uma promessa ao amigo Wesley Victor, mais conhecido como "Biscoito", outro jovem talento do atletismo brasileiro. Além disso, disse que estava com saudade de jogar truco e comer um churrasco com os familiares em sua cidade. Agora não vão faltar os produtos para o evento familiar, possivelmente no fim de semana.

A promessa feita a Biscoito era de ficar sem o refrigerante até a disputa dos Jogos Olímpicos. O problema para Alison é que o "acordo" com o amigo havia sido feito no início de 2020, antes do adiamento da Olimpíada, marcada inicialmente para o ano passado. Assim, o medalhista de bronze esperou muito mais do que o esperado para voltar a tomar o seu refrigerante predileto.

O jejum chegou ao fim nesta sexta com a ajuda do próprio Biscoito, que participou da ação de marketing realizada pelo grupo Heineken Brasil, dono da marca Itubaína. O amigo ajudou na preparação da surpresa. "Já é tradição voltar para casa, fazer aquela resenha com o Biscoito e tomar Itubaína para comemorar minhas vitórias. Mas dessa vez fui surpreendido. Poderei comemorar com toda família", declarou Alison, sem esconder a alegria e a surpresa.

O presente poderá render além das garrafas para o corredor de 21 anos. O grupo Heineken já conversa com Alison sobre um possível apoio para divulgação das marcas em suas redes sociais. "Todos nós torcemos muito e nos emocionamos com a conquista dele. Carismático, jovem, bem humorado e amante da música brasileira, nós vimos no atleta uma personalidade inspiradora que tem tudo a ver com a nossa marca", afirma Bruno Piccirello, gerente de marketing da empresa de bebidas.

Na capital japonesa, Alison brilhou dentro e fora da pista. Com seu jeito brincalhão e espontâneo, o atleta conquistou fãs pelo Brasil. E se tornou o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha em prova individual de pista no atletismo nacional em 33 anos. Os últimos haviam sido Joaquim Cruz, prata nos 800m, e Robson Caetano, bronze nos 200m, ambos no Jogos de Seul, em 1988.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.