Angela Weiss/AFP
Angela Weiss/AFP

Alison e Álvaro Filho ganham bem de dupla argentina na estreia do vôlei de praia

Em uma chave dura, com duplas da Holanda e dos Estados Unidos pela frente, era importante aos brasileiros confirmarem o favoritismo diante dos rivais

Redação, Estadão Conteúdo

23 de julho de 2021 | 23h26

O Brasil estreou da melhor maneira possível no vôlei de praia, modalidade que já garantiu 13 medalhas olímpicas para o País. Com jogo sério, bons bloqueios e saques fortes, Alison e Álvaro Filho confirmaram o favoritismo e fizeram 2 sets a 0 sobre a dupla argentina formada por Azaad e Capogrosso, com parciais de 21/16 e 21/17, sob forte calor e sensação térmica de 40 graus na quadra em Tóquio.

Em uma chave dura, com duplas da Holanda e dos Estados Unidos pela frente, era importante aos brasileiros confirmarem o favoritismo diante dos argentinos. E eles não decepcionaram, vencendo em sets diretos e sempre tendo o jogo sob controle.

Em busca da terceira final olímpica da carreira, Alison foi gigante nos bloqueios, parando por vezes os argentinos, que endureceram a parte inicial dos sets. As duplas conseguiram trocar pontos até 10 a 10 na primeira parcial, quando os brasileiros abriram vantagem.

Álvaro Filho foi para o saque no primeiro set point e mudou a estratégia. Depois de proporcionar saques de até 76 quilômetros, sempre abusando da força, mandou colocado e fechou a parcial com um ace.

Os argentinos voltaram com tudo no segundo set para tentar levar a decisão ao tie-break. Contudo, mais uma vez caíram de rendimento na reta final da parcial. Os brasileiros defenderam muito e contragolpearam bem para fechar o jogo com 21 a 17.

Os brasileiros agora enfrentam os fortes norte-americanos Dalhausser e Lucena, favoritos para a decisão do ouro, na terça-feira. Fecham a chave com os também perigosos holandeses Meeuwsen e Brouwer, dia 29.

Alison é o atual campeão olímpico no vôlei de praia. No Rio-2016, ele subiu ao lugar mais alto do pódio jogando com Bruno Schmidt, que forma dupla com Evandro em Tóquio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.