Gaspar Nóbrega / COB
Gaspar Nóbrega / COB

Alison/Álvaro Filho encara letões Plavins e Tocs valendo vaga na semi em Tóquio

Brasileiros venceram os letões em 2019, pelo Grand Slam de Espinho, em Portugal, no único confronto entre as duplas

Redação, Estadão Conteúdo

03 de agosto de 2021 | 11h34

A Letônia está no caminho de Alison e Álvaro Filho rumo à semifinal dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Depois de vencerem bem os mexicanos Gaxiola e Rubio nas oitavas, os brasileiros voltam à quadra nesta terça-feira, a partir das 22 horas (de Brasília), para enfrentar Plavins e Tocs em confronto válido pelas quartas de final da competição do vôlei de praia disputada na arena montada no Parque Shiokaz.

Depois de enfrentarem o americano Dalhausser, campeão olímpico em Pequim-2008, e os holandeses Brouwer e Meeuwsen, bronze nos Jogos do Rio-2016, mais um medalhista estará do outro lado da rede: Martins Plavins, bronze na Olimpíada de Londres-2012 (ao lado de Smedins).

"A Letônia merece muito respeito, um time que erra pouco e vem fazendo um torneio muito bom. Eles venceram duplas fortes como Rússia, atual campeã mundial, e Brasil e vamos muito concentrados para essa partida. É mais uma final que temos aqui no Japão", afirmou Alison, o "Mamute", ouro no Rio-2016 e prata em Londres-2012.

"É uma dupla bastante experiente. Plavins e Tocs formam um time consistente, forte no bloqueio e com um sistema defensivo muito bom. É mais uma decisão que temos pela frente", completou Álvaro Filho.

Este será apenas o segundo confronto entre Alison/Álvaro Filho e Plavins/Tocs. Em julho de 2019, as duplas se enfrentaram pela semifinal do Grand Slam de Espinho, em Portugal, com vitória brasileira por 2 sets a 0 (parciais de 21/19 e 21/15). Os letões se classificaram na segunda posição do Grupo B, a mesma chave dos mexicanos Gaxiola e Rubio.

Nas estatísticas oficiais do torneio olímpico, Alison aparece como líder em bloqueios (23) e quinto maior pontuador (86 pontos), enquanto que Álvaro Filho é o oitavo em defesas (38).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.