Marcio Fernandes| Estadão
Marcio Fernandes| Estadão

Após abalo coletivo, Vadão promete força da seleção feminina em busca do bronze

Treinador espera tentar retribuir carinho da torcida com a seleção feminina

Daniel Batista, Estadão Conteúdo

18 Agosto 2016 | 17h16

A derrota para a Suécia na semifinal da Olimpíada do Rio não foi fácil, mas já virou página virada. É o que garante o técnico da seleção brasileira feminina de futebol, Oswaldo Alvarez. O treinador promete uma equipe aguerrida e em busca da medalha de bronze na partida contra o Canadá, sexta-feira, às 13h, no Itaquerão.

Vadão disse que sentiu o elenco bastante abalado com a derrota na semifinal para as suecas. "Acho que o dia mais crítico foi ontem (quarta-feira). Estávamos numa ressaca de desclassificação muito grande, todo mundo chateado e frustrado. Mais frustração que qualquer coisa. As atletas tentaram tudo para conquistar o resultado", disse o treinador, em entrevista coletiva realizada na arena onde será o confronto com as canadenses. "Hoje, já percebemos uma reação boa e vamos conversar à noite para poder nos preparar bem. O espírito está renovado", assegurou.

Dois pontos servem como motivadores do time brasileiro: a força da torcida e a oportunidade de ganhar uma medalha olímpica. Vadão entende que, por respeito aos torcedores, o time precisa mostrar brio e buscar a vitória sobre o Canadá, que na semifinal perdeu para a Alemanha.

"A expectativa é boa, a gente vem apresentando um bom futebol, embora tenhamos tido uma frustração muito grande de não chegar às finais. Tudo que fizemos, tudo que o povo brasileiro fez pela seleção feminina, vamos tentar retribuir. Vai ser um jogo dificílimo, mas vamos fazer tudo para segurar essa medalha", projetou.

Até o momento, o Brasil soma 14 medalhas na Olimpíada. Foram quatro de ouro, cinco de prata e mais cinco de bronze. Vadão quer ajudar a aumentar esse número. "Vamos conversar sobre isso. Temos de entender não só pensando no futebol feminino, mas nas medalhas do Brasil em um todo, que podemos conquistar dentro da Olimpíada. Se eu tivesse falado isso ontem, não teria efeito algum, pelo estado que as meninas estavam", explicou.

O treinador não quis adiantar a escalação, mas já avisou que a atacante Cristiane joga. Já a lateral Fabiana fez teste nesta sexta-feira e não sentiu dores, o que lhe dá grandes chances de ir a campo no sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.