Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Após decepções, Alan Fonteles comemora prata no revezamento: 'Lavou a alma'

Atleta sequer se classificou à final nas provas individuais

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2016 | 20h48

O corredor Alan Fonteles, de 24 anos, afirmou nesta segunda-feira que ganhar a medalha de prata no revezamento 4x100 metros, no Engenhão, "lavou a alma". O atleta, que é uma referência na Paralimpíada no Brasil, havia sido desclassificado de maneira precoce na prova dos 100 metros e dos 200 metros individuais, na classe T44 (para amputados), na semana passada, nos Jogos do Rio-2016.

Além de Alan, correram na prova Petrucio Ferreira, Renato Cruz e Yohansson Nascimento. Eles competiram na classe T42-T47 (amputados de membro) e cruzaram a linha de chegada com o tempo de 42s04.

"Depois dos momentos difíceis que passei, também me machuquei na semana passada. Essa vitória lavou a minha alma. Estou realizado em ganhar medalha no meu País. Para Tóquio-2020, vou me preparar mais", disse o atleta, que sofreu críticas por não estar no peso ideal.

Petrucio, de 19 anos, disse que estar entre amigos na prova do revezamento aumentou a confiança para a disputa. "Sempre falei para minha mãe que sonhava em representar o País e estou realizando esse sonho em casa. Hoje, entrei na pista mais confiante. Olhei para a largada e tinha o Renan, próximo a mim, o Yohansson, e na minha frente o Alan. Foi muito melhor", afirmou o velocista, que também ganhou ouro neste domingo nos 100 metros na classe T47.

O grupo havia ficado em terceiro lugar na competição. Porém, os velocistas norte-americanos foram desclassificados por realizarem a passagem de vez fora da raia e o Brasil subiu uma posição no pódio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.