Loic VENANCE / AFP
Loic VENANCE / AFP

Após desistências, Simone Biles fica com o bronze na trave em Tóquio; Saraiva termina em sétimo

Fora das últimas cinco finais após a fase classificatória da ginástica artística, americana encerra sua participação na Olimpíada com duas medalhas

Wilson Baldini Jr, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2021 | 07h08

Depois de ficar fora das finais por equipe, individual geral, salto, barras assimétricas e solo para cuidar de sua saúde mental, a ginasta Simone Biles conquistou nesta terça-feira a medalha de bronze na trave dos Jogos Olímpicos de Tóquio com uma apresentação simples, mas segura

A ginasta americana recebeu a nota redonda de 14.000, enquanto a brasileira Flávia Saraiva ficou com 13.133, na sétima colocação, após um erro. O ouro foi para a chinesa Chenchen Guan (14.633) e prata ficou com sua compatriota Xijing Tang (14.233). A China dominou a apresentação na trave.

Biles se classificou para todas as quatro finais de aparelhos, mas optou por se retirar de todas elas, exceto a trave. Em suas redes sociais, a ginasta detalhou nos últimos dias suas lutas com os "twisties", um termo da ginástica para quando o corpo e a mente de um atleta não estão em sincronia.

"Minha mente e meu corpo simplesmente não estão em sincronia", explicou a ginasta dos EUA. "Para qualquer um que diga que parei. Eu não desisti", completou a estrela da ginástica. Ela relatou que havia sofrido com o problema anteriormente, mas apenas no chão.

Recupeda, Simone Biles ganhou sua segunda medalha em Tóquio, já que, apesar de ter sido retirada da final após uma falha no salto, levou a prata na disputa por equipes. Ela ostenta ainda quatro ouros e um bronze conquistados na Olimpíada do Rio, em 2016. Após sua apresentação, ela sorriu. Deu a impressão de que a nota pouco importava para ela naquele momento. Estava feliz por ter conseguido fazer os movimentos propostos. As outras ginastas, uma a uma, foram abracá-la. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.