Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

Após desistir de cinco provas, Simone Biles vai disputar final da trave da ginástica em Tóquio

Federação Americana de Ginástica confirma a participação da ginasta para a última disputa da ginástica artística, marcada para esta terça-feira, dia 3

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2021 | 06h21

Depois de ficar fora das finais por equipe, individual geral, salto, barras assimétricas e solo para cuidar de sua saúde mental, a ginasta Simone Biles confirmou presença na decisão da trave da ginástica artística dos Jogos Olímpicos de Tóquio, prova que também terá a brasileira Flávia Saraiva

A confirmação da participação de Biles foi anunciada nesta segunda-feira pela Federação Americana de Ginástica (USA Gymnastics, na sigla em inglês), em um breve comunicado. Desde que foi afastada para cuidar de sua saída mental, Biles permeneceu com o time dos EUA, inclusive nos dias de apresenatações na arena. Ela viu e aplaudiu, por exemplo, as medalhas de Rebeca Andrade. 

"Estamos muito animados em confirmar que vocês verão dois atletas americanos na final da trave amanhã - Suni Lee e Simone Biles. Mal podemos esperar para vê-las", informou a federação americana nas redes sociais, fazendo menção também a Sunisa Lee, atleta americana que faturou o ouro no individual geral e bronze nas barras assimétricas.

A final da trave é a última da ginástica artística feminina nos Jogos Olímpicos de Tóquio e será disputada nesta terça-feira a partir das 5h50 (horário de Brasília).

Biles se classificou para todas as quatro finais do aparelho, mas optou por se retirar de todas elas, exceto a trave. Antes, ela já havia desistido da competição por equipes depois de se perder no ar e da final geral para se concentrar inteiramente em sua saúde mental.

Em suas redes sociais, Biles detalhou suas lutas no treinamento com os "twisties", um termo da ginástica para quando o corpo e a mente de uma ginasta não estão em sincronia. "Minha mente e meu corpo simplesmente não estão em sincronia", explicou a ginasta dos EUA. "Para qualquer um que diga que parei. Eu não desisti", completou a estrela da ginástica. Ela relatou que havia sofrido com o problema anteriormente, mas apenas no chão. 

A desorientação relatada por Simone Biles é causada por problemas de saúde mental, intensificados em momentos de pressão, como a disputa dos Jogos Olímpicos. A decisão de não participar das disputas foi tomada em conjunto com a equipe médica da ginástica americana, visando evitar qualquer tipo de lesão grave. 

Biles terá a chance de ganhar sua segunda medalha em Tóquio, já que, apesar de ter sido retirada da final após uma falha no salto, levou a prata na disputa por equipes. Ela ostenta quatro ouros e um bronze conquistados na Olimpíada do Rio, em 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.