Satiro Sodré|SS Press
Satiro Sodré|SS Press

Após doping, Etiene tem ajuda de psicóloga

Melhor nadadora do País tenta não perder a concentração e o foco nos treinos às vésperas da Olimpíada

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2016 | 05h00

A uma semana da abertura dos Jogos Olímpicos do Rio a nadadora Etiene Medeiros tenta se concentrar nos treinos e evitar a polêmica sobre o doping. A principal aposta no Brasil para as provas dos 50m livres e 100 m costa foi orientada pelos advogados para não dar entrevistas por precaução, pelo risco da absolvição pelo uso de fenoterol ser alvo de tentativas de recurso da Wada (Agência Mundial Antidoping) e da Fina (Federação Internacional de Natação).

A equipe brasileira de natação se prepara no CT Paralímpico em São Paulo desde a semana passada e tem atenção especial à pernambucana de 25 anos. A campeã panamericana nos 100 m costas conta com a ajuda de psicóloga para se manter motivada e não se afetar pela polêmica vivida em junho, quando o resultado do exame deu positivo e colocou em risco a participação dela na Olimpíada em casa.

"Ela tem treinado bem, está motivada. A gente admite que toda a situação foi difícil, ela chegou a treinar em horários separados dos outros atletas. Mas vejo a Etiene muito bem preparada para fazer um bom papel", explicou ontem o técnico da seleção brasileira de natação, Fernando Vanzella. Foi ele quem avisou aos jornalistas sobre a recomendação dos advogados da nadadora não conceder entrevistas. Desde o começo do caso ela não deu entrevistas.

Um medicamento para a asma é o que causou esse problema para Etiene. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva de Desportos Aquáticos a absolveu no fim de junho ao acatar a alegação da atleta de que não usou a substância para se beneficiar. O exame em que a amostra foi encontrada é de 8 de maio, fora do período das competições.

"Eu também acabo tendo um papel de psicólogo, por estar perto dela na piscina, durante as atividades e ter que notar como ela se sente. Acho que a Etiene chegará preparada", afirmou. A nadadora poderá disputar até quatro provas no Rio. Além das duas em que é especialista, terá pela frente os 100 m livres e uma possível participação na equipe do revezamento 4x100 m medley.

Dentro da própria equipe brasileira de natação que se prepara para os Jogos a atleta encontra apoio. Um dos colegas de treino, João Luiz Gomes Junior, enfrentou no ano passado problema semelhante no ano passado e chegou a ficar seis meses parado. "Eu sempre falo para ele treinar bastante e se concentrar. A Etiene tem o meu incentivo e está preparada para ir bem", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.