Sátiro Sodré/SS Press
Sátiro Sodré/SS Press

Após fracasso nos 100m, Cielo abandona seletiva antes dos 50m

Esperança de medalha do Brasil só terá mais uma competição para garantir lugar nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro

Estadão Conteúdo

18 de dezembro de 2015 | 17h41

Apenas 11.º colocado nos 100m livre no Brasileiro Sênior, na manhã desta sexta-feira, Cesar Cielo resolveu abandonar a competição em Palhoça (SC), primeira das duas seletivas olímpicas da natação brasileira. Sem se classificar para nadar o Open, o recordista mundial dos 100m e dos 50m livre decidiu deixar a cidade catarinense sem nem competir na prova mais curta, que será no sábado.

Cielo já havia deixado Kazan, no meio do Mundial de Natação, em agosto, reclamando de uma lesão no ombro. Ele nadou apenas os 50m borboleta, ficando em sexto lugar, e deixou a Rússia dizendo que "não tinha mais o que fazer" no Mundial. O campeão olímpico havia aberto mão de compor o revezamento 4x100m livre e deixou a competição antes de defender o tricampeonato nos 50m livre.

Após dois meses se tratando da lesão no ombro, Cielo voltou aos treinamentos em outubro e pretendia usar a competição em Palhoça como um teste. Ele fez 21s44 com saída lançada no revezamento 4x50m livre do Minas, marca que indicava boa chance de índice olímpico na prova individual deste sábado.

Pensando na Olimpíada, Cielo mudou seu programa de provas e abriu mão de nadar os 50m borboleta para competir nos 100m livre. Além do índice na prova na qual é recordista mundial, queria se classificar para compor o revezamento 4x100m livre do Brasil que tem grandes chances de medalha no Rio-2016.

Na manhã desta sexta, entretanto, Cielo fez apenas o 11.º tempo nos 100m livre: 49s55, resultado que não o colocaria entre os 100 primeiros do ranking mundial. Como só os oito primeiros se classificam para o Torneio Open, que não tem Final B, Cielo não teria nova chance de nadar os 100m livre em Palhoça.

Agora, Cielo terá só uma oportunidade de se classificar para o Rio-2016: o Troféu Maria Lenk do ano que vem, que será disputado em abril no Centro Olímpico Aquático. Ali, deverá ter duas chances de nadar cada uma das provas (50m e 100m livre), uma vez que são disputadas eliminatória e finais A e B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.