Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Após ganhar duas pratas, Fábio Bordignon celebra troca do futebol pelo atletismo

Atleta disputou o futebol de 7 em Londres-2012

Constança Rezende, enviada especial ao Rio, Estadão Conteúdo

12 de setembro de 2016 | 15h38

O velocista Fábio Bordignon, que ganhou duas medalhas de prata nos Jogos Paralímpicos do Rio, trocou o futebol de 7 pelo atletismo há cerca de um ano. Após alcançar a segunda posição nos 200 metros, nesta segunda-feira, ele afirmou que a decisão foi acertada. Fábio compete na categoria T35, para atletas como paralisia cerebral.

"Foi muito difícil a troca de esportes mas, com ajuda dos meus técnicos e amigos, consegui. Foi a decisão acertada. Não é para qualquer um ser medalha nos 200 e 100 metros. Agora, futebol na minha vida é só para descontrair, de brincadeira", disse ao Estadão.com.

Como jogador de futebol de 7, Fábio fez parte da equipe que terminou em quarto lugar nos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012. Ele tinha chances pequenas de ser chamado para defender o Brasil nesta edição por esta modalidade. Por isso, trocou de esporte.

O atleta ganhou a primeira medalha de prata na modalidade, na última sexta-feira, nos 100 metros. Nesta manhã, Fábio cruzou a linha de chegada dos 200 metros com 26s01, estabelecendo o recorde sul-americano. O ouro ficou com o ucraniano Ihor Tsvietov, que alcançou 25s11. O argentino Hernan Barreto fez 26s50 e ficou com o bronze. O pódio da prova dos 100 metros foi igual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.