DIV
DIV

Após Jogos, aumenta a procura por ingressos para Paralimpíada

Foram comercializados 133 mil bilhetes em um dia

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2016 | 05h00

O gostinho de “quero mais” da Olimpíada está tendo um impacto grande na venda de ingressos para os Jogos Paralímpicos, que serão realizados de 7 a 18 de setembro no Rio. O sucesso da competição em alguns aspectos ajudou a despertar o interesse do torcedor, que pode encontrar bilhetes mais acessíveis para ver de perto grandes estrelas esportivas e ainda entrar em arenas que deixarão de existir depois dos Jogos.

“A gente continua com uma demanda muito alta e costuma ser assim mesmo, quando chega do meio para o final da Olimpíada, a procura aumenta”, explica Donovan Ferreti, diretor de ingressos do Comitê Organizador Rio-2016. Ele conta que desde sábado as vendas foram subindo, passando de 16 mil bilhetes para 50 mil no domingo, 100 mil na segunda-feira, 133 mil na terça e com expectativa de aumentar ainda mais nos próximos dias.

No Parque Olímpico da Barra, por exemplo, algumas instalações serão desmontadas, como o Estádio Aquático e a Arena do Futuro. Então o torcedor terá uma última oportunidade de conhecer esses dois palcos dos Jogos. “Outro detalhe importante é que o todo dia tem medalha e hino nacional do Brasil, pois o País é uma potência paralímpica”, continua Donovan, ciente de que o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro) traçou como meta ser Top 5 na competição.

A venda de ingressos para a Paralimpíada foi muito lenta no início, pois tinha a concorrência da Olimpíada e a divulgação maior era em cima da competição que vinha antes. Mas o Comitê Organizador já imaginava que haveria um aumento da procura na segunda metade do mês de agosto, principalmente pelo torcedor brasileiro.

Atrativo. Um dos trunfos é o preço popular dos bilhetes. Se levar em conta a meia-entrada, existem ingressos partindo de R$ 5 e chegando até R$ 130 (final do basquete em cadeira de rodas) para as sessões esportivas. Já para a cerimônia de abertura o bilhete custa entre R$ 100 e R$ 1.200. “As demandas altas são para as finais de basquete em cadeira de rodas, o futebol de 5 e as sessões de natação”, diz Donovan.

Ele lembra que as vendas de ingressos para a Paralimpíada já ultrapassaram 600 mil bilhetes dos 2,5 milhões disponíveis. A expectativa é de negociar 80% do total. “Nos Jogos Olímpicos, a previsão era vender 86% e vendemos 94% dos ingressos. Queremos que as pessoas venham e tenham um programa em família. Só para se ter uma ideia, a média de permanência das pessoas no Parque Olímpico foi de oito horas.”

Para o torcedor brasileiro, alguns nomes chamam atenção na hora da compra. Um deles é o de Daniel Dias, nossa versão do “Michael Phelps”. Ele tem 16 medalhas paralímpicas, sendo 11 de ouro. Ele deve disputar seis finais no torneio.

Outro grande nome da natação é Clodoaldo Silva, em sua despedida dos Jogos. No atletismo, destaque para Terezinha Guilhermina, Felipe Gomes, Silvânia Costa e Shirlene Coelho. A paracanoagem terá Luís Carlos Cardoso enquanto no tênis em cadeira de rodas o destaque é Natália Mayara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.