Fabio Teixeira| EFE
Fabio Teixeira| EFE

Após depoimentos, nadadores americanos são liberados para retornarem aos EUA

Gunnar Bentz e Jack Conger devem retornar ao país nesta quinta

Clarice Cudischevitch, especial ao Estado, O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2016 | 21h03

Os nadadores americanos Gunnar Bentz e Jack Conger, que foram retirados na noite da quarta-feira, 17, do avião pela Polícia Federal para prestar depoimento sobre o falso assalto que teriam sofrido com Ryan Lochte e James Feigen, tiveram seus passaportes liberados pela Polícia Federal. Segundo o advogado dos atletas, Sergio Riera, eles devem embarcar ainda na noite desta quinta-feira, 18, para os EUA.

A policiais da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), os dois atletas afirmaram que a mentira foi articulada por Lochte para preservar o relacionamento conjugal de um deles. O jovem - não foi identificado qual - teria "ficado" com uma jovem em uma festa na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul. "Não houve roubo, eles não foram vítimas como relataram", disse Fernando Veloso, chefe da Polícia Civil do Rio.

Os quatro nadadores se envolveram em uma confusão na madrugada do último domingo (14) em um posto de gasolina, no caminho entre uma festa da Casa da França, na Sociedade Hípica, na Zona Sul do Rio, e a Vila dos Atletas. 

De acordo com Veloso, o grupo estava alcoolizado e teria danificado espelhos e saboneteiras no posto. Abordados pelos seguranças do estabelecimento, se irritaram e tentaram ir embora. Eles, no entanto, foram impedidos pelos agentes, que apontaram uma arma para eles, mas sem uso de violência, disse o delegado. Os seguranças, então ligaram para a Polícia Militar.

Uma pessoa que passava pelo local tentou ajudar no caso, traduzindo o diálogo. Também em depoimento à Polícia, a testemunha disse aos nadadores que teriam de pagar pelo prejuízo, o que eles fizeram deixando R$ 100 e US$ 20. Os americanos insistiram para que o motorista do táxi, que os trouxera ao local e os esperava, os levassem do local. O taxista, porém, queria esperar os policiais, mas foi convencido a ir embora. 

James Feigen ainda está no Brasil e disposta a dar declarações sobre o caso. Ryan Lochte, por outro lado, já deixou o País. Para que ele deponha nos Estados Unidos, a Justiça fará uma solicitação ao FBI, que tem colaborado com a condução do incidente. Imagens das câmeras de segurança do posto de gasolina serão usadas pela perícia na investigação e também para descobrir se foram editadas. 

À Polícia, o dono do posto acusou os nadadores de vandalismo. Segundo o comerciante, os americanos urinaram nas paredes, destruíram uma placa de propaganda e itens do banheiro.

Também foi ouvido um outro taxista, este que levou para casa duas jovens que estiveram com os esportistas na festa. O motorista também confirmou a versão de que eles não foram roubados. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.