Argentina diz que 'não tem mais nada a conversar' com o Barça

Presidente da AFA não aceita que Lionel Messi se apresente à seleção olímpica com os Jogos já em andamento

EFE

25 de julho de 2008 | 15h33

O presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, disse que não tem nada a conversar com o Barcelona sobre a cessão de Lionel Messi à seleção olímpica de seu país e que não aceitará que o jogador se incorpore à equipe com os Jogos Olímpicos em andamento. "Conversei no último sábado com Joan Laporta - presidente da equipe catalã - e informei que o regulamento está de nosso lado. Agora não tenho nada a falar com o Barcelona", declarou o dirigente argentino ao jornal Clarín. Ao ser perguntado se isto é uma prova de que existe um conflito entre grandes clubes da Europa e seleções, Grondona disse que "estas coisas podem complicar o futuro". "Cumprimos todos os passos e até agora não temos nenhuma resposta favorável do Barcelona. Pedimos então e também avisamos à Fifa que o jogador não chegou em termo" aos treinamentos da equipe, declarou Grondona. "Também será necessário ver a opinião do técnico Sergio Batista. Se aceita que Messi se junte à equipe no dia 29, ou 30 ou 31. Não falei com o treinador. Com o Barcelona não converso mais, pois faço isto em nível Fifa", declarou. Sobre a possibilidade de o Barcelona desejar ceder o jogador após a disputa da primeira partida da fase preliminar da Liga dos Campeões, e com o torneio olímpico já em andamento, Grondona declarou: "de forma alguma. Não vai se juntar à equipe com o torneio iniciado". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.