Atleta alemão acusa jamaicano Usain Bolt de correr dopado

De acordo com Tobias Unger, é suspeito que o atleta da Jamaica nem sinta cansaço após uma longa viagem

EFE,

20 de agosto de 2008 | 06h44

O atleta alemão Tobias Unger acusou o jamaicano Usain Bolt, recordista mundial e medalha de ouro nos 100 metros dos Jogos Olímpicos de Pequim, de correr sob o efeito de produtos dopantes.Veja também: Até agora, Pequim só registrou quatro casos de doping"Nas eliminatórias, Bolt nem pensou em aquecer. Fez pequenos trotes, foi para a largada e conseguiu cem metros em 9,92 segundos. É suspeito também que ele não mostre cansaço após uma viagem longa ou um treino", comentou Unger em entrevista à revista Sport Bild.O alemão, que não passou da segunda fase na prova, acha que um dos maiores problemas da luta contra o doping é o fato de muitos países não terem uma agência reguladora - como é o caso da Jamaica, onde Bolt nasceu.Para ser mais exato, apenas 25 das 205 nações que estão em Pequim tem uma entidade com este papel."Eles fazem o que querem lá (na Jamaica) e nada acontece. Já eu tenho de registrar todas as entradas e saídas que faço em Pequim caso passe por um exame antidoping. Bolt possivelmente não saberia nem preencher o formulário de entrada e saída", disse Unger.O atleta acredita que o rígido sistema alemão - passou por dez exames só nesta temporada - é bom, afirmando que uma possibilidade de solucionar o problema seria proibir a participação daqueles países que não tiverem uma regulamentação antidoping.Outra sugestão foi a de reduzir os prêmios em dinheiro entregues àqueles que batem recordes mundiais. Em relação à punição, Unger acha que os atletas deveriam pegar as mesmas penas que ladrões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.