Atleta dos EUA assumiu risco

Brasileira esbarrou e deslocou a americana durante o revezamento 4 x 100 metros

Robson Caetano, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2016 | 03h00

Provas como o revezamento 4 X 100 metros sempre nos proporcionam emoções. No entanto, o ocorrido no Estádio Olímpico – o Engenhão – na manhã desta quinta-feira foi algo que jamais vi em meus mais de 30 anos de envolvimento com o esporte, seja como atleta ou como jornalista.

Uma explicação bem simples é a de que o time americano, com a atleta Allyson Felix, que vinha em extrema velocidade, muito próxima à linha da raia 2 em que estava a atleta brasileira Kauiza Venâncio, esbarrou no braço da brasileira ao passar por ela, que, acelerando, abriu o braço deslocando a atleta americana.

A decisão dos árbitros foi dar uma nova chance ao time americano, que correu às 19h e se classificou com o tempo de 41s77, a melhor marca de todas as séries. E as atletas do Brasil foram desclassificadas. Simples assim.

Acidentes acontecem. E Allyson Felix, que é experiente, deveria ter feito uma corrida mais centralizada na pista, pois quando ela corre muito próximo da raia da adversária assume um risco. Portanto, deveria ter ficado de fora, mesmo com a apelação do time americano. Queria ver se fosse o contrário!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.