Atletas franceses prometem gesto por direitos humanos na China

Atletas franceses pretendem usar durantea cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, emagosto, um símbolo chamativo mostrando sua preocupação com osdireitos humanos, afirmou na quarta-feira o bicampeão olímpicode judô David Douillet. "Temos coisas a dizer e vamos dizê-las", disse Douillet,co-presidente da comissão de atletas junto ao Comitê OlímpicoFrancês. As declarações dele foram dadas em uma entrevistacoletiva realizada em Paris. A iniciativa será apresentada oficialmente pelos atletas emuma entrevista marcada para sexta-feira, acrescentou Douillet,que está aposentado das competições e hoje é membro dafederação francesa de judô. "Vamos anunciar na sexta-feira qual o símbolo chamativo queusaremos na passagem da tocha olímpica (em Paris, nasegunda-feira) e na cerimônia de abertura dos Jogos", afirmou. A entrevista de quarta-feira foi convocada pelo ComitêOlímpico da França antes da chegada da tocha ao país. O prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, afirmou que umafaixa manifestando o apoio da cidade aos direitos humanos emtodo o mundo seria exibida na frente da prefeitura da capitalnaquele dia. O primeiro a carregar a tocha em Paris será o ex-campeãomundial dos 400 metros com barreira Stéphane Diagana. "Acho que podemos expor nossas opiniões e, ao mesmo tempo,permitir que a tocha continue avançando rumo a Pequim. Masprecisamos enviar para a China a mensagem de que esse país nãocumpriu suas obrigações", afirmou Diagana à Reuters. "O que podemos fazer é algo não contra a China, mas a favordos direitos humanos. Na condição de seres humanos, é nossodever intervir", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.