Atletas italianos participam de campanha pelo Tibete

Canoísta Antonio Rossi corteu uma mecha de seu cabelo para promover uma solução pacífica para a região

Ansa

18 de julho de 2008 | 15h20

O canoísta italiano Antonio Rossi cortou uma mecha de seu cabelo para participar da campanha "A wisp for - A peaceful act for a peaceful solution" (Uma mecha por - Um ato pacífico para uma solução pacífica). A idéia partiu da jovem cineasta italiana Cinzia Pedrizzetti e do publicitário genovês Andrea Rosagni, que tentaram envolver os atletas da seleção olímpica italiana em uma iniciativa a favor do Tibete. "Mandaremos todas as mechas que estamos recolhendo para o consulado chinês. É um gesto que lembra aquele dos monges tibetanos, que se depilam completamente para demonstrar seu desapego às coisas materiais. Pensamos em envolver os atletas a fim de chamar a atenção para o fato de que o esporte é a favor da paz e que não é verdade que ninguém está percebendo a situação no Tibete", disse Cinzia. Antonio Rossi logo aderiu à causa e o vídeo que mostra o atleta cortando o cabelo pode ser conferido no YouTube. "Não é nada político, foi uma iniciativa simpática e original", disse Rossi, explicando que "antes e depois das Olimpíadas é preciso também falar desses temas e há diversos modos de dizer as coisas. Durante os Jogos, no entanto, os atletas devem pensar em ser atletas e não é certo jogar em cima deles questões políticas que devem ser resolvidas por políticos", acrescentou. "Segui e sigo os acontecimentos no Tibete, acompanho o tema, mas nesse meu gesto não há nada de político e ele não deve ser instrumentalizado", disse Rossi.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.