Divulgação
Divulgação

Atletas olímpicos continuam sem data definida para retomarem treinos

Protocolo para prática de modalidades esportivas não foi aprovado pelo governo do Estado; apenas o futebol está liberado

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2020 | 05h00

Atletas de modalidades olímpicas continuam sem uma data definida para retomarem os treinos no Estado de São Paulo. Era esperado que o governador João Doria (PSDB) anunciasse na sexta-feira, 26, os protocolos e medidas de segurança para liberar a prática de modalidades esportivas, mas o Centro de Contingência do Coronavírus não aprovou o plano apresentado pelos dirigentes. Por enquanto, o governador autorizou apenas o regresso aos treinos dos times da Série A do Campeonato Paulista a partir do dia 1.º de julho.

"O Centro de Contingência do Coronavírus informa que está revisando detalhadamente os protocolos de segurança propostos por modalidades esportivas, além do futebol. As propostas suscitaram dúvidas técnicas que estão sendo debatidas pelos integrantes do grupo, inclusive com reuniões neste final de semana", diz nota enviada ao Estadão.

A expectativa é de que inicialmente os treinos só poderão envolver atividades físicas individuais, inclusive com limitação no número de pessoas presentes. Atletas e demais profissionais também deverão respeitar o distanciamento mínimo e o uso de máscaras é obrigatório. Os atletas terão ainda de passar por testes regulares.

Desde o início da quarentena no Estado, os clubes estão fechados e os atletas têm treinado em casa. Para adaptar a rotina em meio à pandemia, os esportistas estão se virando como podem e usando a criatividade para minimizar os problemas e não ficarem parados.

O ginasta Arthur Nory, por exemplo, tem feito sucesso nas redes sociais ao publicar vídeos de exercícios adaptados dentro de casa. O medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio postou uma série de treinos elaborados pela equipe da seleção brasileira de ginástica artística e do seu clube, o Pinheiros.

Já Ana Marcela Cunha eleita seis vezes a melhor atleta da maratona aquática do mundo usa na varanda do seu apartamento o aparelho ergonômico “VASA”, que simula a movimentação e o esforço feitos pela nadadora como se ela estivesse na piscina. Atleta da Unisanta, de Santos, ela passa o período de isolamento social no Rio, ao lado da família.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada 2020 Tóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.