Reuters
Reuters

Atletas olímpicos dos EUA poderão promover seus patrocinadores nos Jogos de Tóquio

Competidores chamam a regra da então proibição do Comitê Olímpicos de 'lei da mordaça'

Victor Mather, The New York Times, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2019 | 11h26

Os atletas olímpicos americanos terão mais facilidade para promover produtos e patrocinadores durante os jogos, diante da decisão, na terça-feira, do Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) de flexibilizar algumas das regras de marketing esportivo. Durante anos os atletas têm se debatido no caso de uma dessas regras, a de número 40 da Carta Olímpica, que restringe drasticamente o que eles podem dizer e fazer com seus patrocinadores imediatamente antes e durante os Jogos. Muitos atletas chamam essa norma de "gag rule" (regra da mordaça), pois ela limita sua liberdade de expressão e injustamente marginaliza patrocinadores que financiam e apoiam seu treinamento, às vezes durante anos, num momento de maior visibilidade.

As autoridades olímpicas sempre afirmaram que a regra era necessária para proteger os interesses de um pequeno grupo de parceiros oficiais que gastam milhões de dólares para terem seu nome associado à Olimpíada. Quando o Comitê Olímpico Internacional instituiu a Regra 40, deixou a interpretação dela para os comitês nacionais. Nos últimos anos, um órgão governamental alemão reduziu o poder do IOC ao declarar que a Regra 40 tem "alcance exagerado" e que os atletas alemães não estão mais submetidos a ela. Mas muitos comitês olímpicos nacionais, incluindo o dos Estados Unidos, se atêm rigorosamente à norma, face às ciladas das campanhas de marketing e protestos dos seus próprios atletas.

Pelo menos um atleta, e duas vezes campeão olímpico, Nick Symmonds, citou as restrições como motivo para se aposentar antes do tempo. Mas na terça-feira o comitê olímpico dos Estados Unidos atualizou suas normas. A partir do próximo ano, na Olimpíada de Tóquio, os atletas americanos estarão autorizados a agradecer aos seus patrocinadores nos Jogos e estes também poderão felicitar seus atletas.

ALGUMAS RESTRIÇÕES CONTINUAM 

Os atletas estão limitados a sete mensagens de agradecimento durante os Jogos Olímpicos e o conteúdo das mensagens será examinado. Uma postagem como "Obrigado por ter apoiado minha empreitada" é aceitável, mas termos como "Tóquio 2020" e "Equipe USA" e imagens olímpicas estão proibidos. Os atletas também não podem promover produtos não oficiais diretamente, com frases como "Seu produto é o melhor".

Do mesmo modo, as mensagens de congratulações de empresas que não são patrocinadoras oficiais não devem trazer termos e imagens olímpicos. E as marcas que promovem atletas não podem aumentar a frequência dos seus anúncios durante a competição. "Trabalhamos para criar diretrizes que aumentem as oportunidades de marketing do atleta e, mais importante, respeitem a Regra 40, e afirmem nosso compromisso em valorizar nossos parceiros", afirmou a diretora executiva do USOPC, Sarah Hirshland. Na próxima Olimpíada de verão em Tóquio, o período em que os atletas estarão limitados pela Regra 40 é de 14 de julho a 11 de agosto. / Tradução de Terezinha Martino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.