Jonathan Nackstrand
Jonathan Nackstrand

Brasil joga mal, perde da Romênia nas oitavas e dá adeus ao bi

Seleção feminina de handebol jogou abaixo das expectativas

Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2015 | 19h36

A Romênia venceu a seleção brasileira feminina de handebol por 25 a 22, neste domingo, em Kolding, e avançou para as quartas de final do Mundial da modalidade, disputado na Dinamarca. Assim, o Brasil, atual campeão, não terá a chance de defender o troféu conquistado em 2013 na Sérvia.

A derrota veio justamente após uma emocionante classificação com vitória sobre a França no último segundo. Neste domingo, a goleira romena Ungureanu brilhou e ajudou sua seleção a avançar no torneio - ao apito final, ela foi escolhida a melhor em quadra - e, na sequência, irá enfrentar justamente a anfitriã Dinamarca, que eliminou a Suécia.

Desde o início da partida, a seleção brasileira esteve atrás no marcador. O time perdeu cobranças de sete metros, parando em Ungureanu, e acabou o primeiro tempo com uma desvantagem de cinco gols: 13 a 8.

Na volta do intervalo, o Brasil buscou o empate e baixou a diferença para dois gols. No entanto, após a metade do segundo tempo, a Romênia já havia retomado a mesma vantagem da primeira etapa.

Pouco antes do final, as meninas brasileiras se esforçaram ao máximo e conseguiram deixar o placar em 20 a 19. No entanto, a Romênia se segurou como pôde para evitar o empate e ainda abriu para 25 a 22 ao apito final.

O Brasil já havia tido dificuldades e foi derrotado pela Romênia, em março deste ano, por 27 a 19, em um torneio amistoso. Agora resta ao time comandado por Morten Soubak a preparação para os Jogos Olímpicos do Rio. Como sede da competição, o país já tem classificação garantida para a disputa.

Antes de não conseguir justificar o seu favoritismo neste domingo, a seleção brasileira havia se classificado como líder de seu grupo e de forma invicta, com quatro vitórias e um empate. Já as romenas, que ficaram em quarto lugar em sua chave, acumular duas vitórias e três derrotas.

Visivelmente abatida, Duda Amorim, a melhor jogadora de 2014, deu entrevistao final do jogo. "O sonho acabou, é triste. Não temos desculpa. Estávamos preparadas, era para termos entrado para matar elas. É um aprendizado. É triste, mas bola para frente. Queria agradecer a presença de todo mundo, sei que estavam torcendo pela gente. Agora, prometo que vamos melhorar".

O treinador brasileiro, o sueco Morten Soubak, enfatizou a ótima atuação romena. "A Romênia estava muito bem preparada e com certeza fez o melhor jogo dela no Mundial". Ele ainda criticou o primeiro tempo da equipe. "Mesmo que fizemos um bom segundo tempo, aquela distância (cinco gols no intervalo) foi o que atrapalhou mais".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.