ATUALIZA-Tocha olímpica é acesa em meio a protestos pró-Tibet

Manifestantes pró-Tibettentaram interromper a cerimônia de acendimento da tochaolímpica dos Jogos de Pequim no antigo estádio da cidade deOlímpia, na Grécia, nesta segunda-feira. Em uma cerimônia transmitida para TVs de todo o mundo paramarcar o início dos cinco meses de revezamento da tocha, aatriz Maria Nafpliotou, interpretando uma sacerdotisa, acendeua tocha em frente ao templo de Hera. Entretanto, pouco antes do início da cerimônia no sítioarqueológico que foi sede dos Jogos Olímpicos na Grécia Antiga,três manifestantes conseguiram romper o bloqueio policial. Um deles, carregando uma faixa preta com os cinco anéisolímpicos, conseguiu se aproximar do chefe do comitêorganizador dos Jogos, Liu Qi, durante seu discurso em frente acentenas de autoridades. O manifestante foi retirado do localsem conseguir chegar a Liu. Liu, que se manteve calmo durante o protesto, disse: "Achama olímpica vai radiar luz e felicidade, paz e amizade, eesperança e sonhos para o povo da China e de todo o mundo". A polícia informou que três pessoas foram detidas até omomento e serão acusadas por desordem. A organização Repórteres Sem Fronteiras assumiu aresponsabilidade pela manifestação para protestar contra asviolações aos direitos humanos na China. "Se a chama olímpica é sacrificatória, os direitos humanossão ainda mais", disse o grupo em comunicado na versão francesade sua página na Internet. "Não podemos deixar o governo chinês aproveitar a chamaolímpica, um símbolo de paz, sem condenar os dramáticosdireitos humanos no país." O secretário-geral do Repórteres Sem Fronteiras, RobertMenard, levantou um segundo cartaz preto da área VIP ondeestava sentado. Também houve protestos durante os primeiros metros dorevezamento da tocha, com vários manifestantes tentando seguraros corredores. Outras pessoas vestiam camisas Tibet Livre e umagrande faixa foi extendida entre dois prédios em uma dasprincipais ruas de Olímpia. "Eles conseguiram atrasar o revezamento um pouco em trêspartes diferentes da avenida", disse um fotógrafo da Reuters. A polícia informou que outros 25 manifestantes tentaramseguir para o protesto na antiga cidade onde a cerimôniaaconteceu, mas foram detidos pela polícia após pequenosenfrentamentos. A polícia também informou que o vice-diretor do Estudantespor um Tibet Livre, que havia prometido realizar um protestocontra a ocupação da China no Tibet, e um fotógrafo grego queestava com ele desde domingo foram detidos. "Fui preso por mais de 20 policiais gregos. Agora estoudetido na delegacia", disse Tenzin Dorjee à Reuters. Ele contouque foi detido com o fotógrafo por policiais à paisana emOlímpia, longe do local da cerimônia. O atleta grego Alexandros Nikolaidis, medalhista de pratano taekwondo nos Jogos de Atenas em 2004, foi o primeiro acarregar a tocha durante o revezamento que passa seis dias naGrécia antes da entrega da tocha aos chineses em 30 de março. "Expresso aqui a esperança de que o símbolo da tocha sejareconhecido por todos e que as circunstâncias corretas sejamcriadas por onde quer que a tocha viaje, para que esse símboloressoe", disse o presidente do Comitê Olímpico Internacional(COI), Jacques Rogge. (Reportagem adicional de Dina Kyriakidou em Atenas e KevinCoombs e Deborah Kyvrikosaios em Olímpia) REUTERS ES PF

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.