Australianos liberados para falarem de Direitos Humanos

Comitê Olímpico Australiano muda regras para dar mais liberdade a seus atletas durante os Jogos Olímpicos

Ansa

12 de maio de 2008 | 09h09

Os atletas australianos que irão às Olimpíadas de Pequim receberam por escrito permissão para exprimirem as próprias opiniões em relação aos direitos humanos e outras questões, verbalmente ou por escrito, em entrevistas nas salas de imprensa olímpicas ou em zonas mistas, além de seus sites pessoas, mas não enquanto estiverem nos locais de competição.O Comitê Olímpico Australiano mudou as regras do acordo com os atletas sobre a política com a imprensa, incorporando a liberdade de expressão e atenuando as severas restrições sobre o que eles podem dizer."Na Austrália podemos fazer isso", declarou o presidente do Comitê Olímpico Australiano, John Coates. "Nosso premier esteve na China recentemente e disse a eles que não está de acordo com aquilo que está ocorrendo no Tibete".Continuam, no entanto, as proibições aos protestos político dentro dos locais de competição, como, por exemplo, vestir e mostrar camisetas com a bandeira do Tibete. Foi abolida também a cláusula que impedia os atletas de falarem de assuntos que não dissessem respeito as suas performances.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.