Divulgação
Divulgação

Baixas na canoagem afastam concorrentes de Isaquias Queiroz

Sem russos, brasileiro pode ser favorecido na disputa por medalha nos Jogos do Rio

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

27 de julho de 2016 | 07h00

As punições à Rússia pelo escândalo de doping chegaram nesta terça-feira para cinco atletas da canoagem de velocidade do país que viriam aos Jogos do Rio. A Federação Internacional da modalidade (ICF) proibiu o grupo de participar das competições, em decisão que altera a lista dos candidatos à medalha e pode beneficiar o brasileiro Isaquias Queiroz.

Do grupo de banidos, dois foram medalhistas nos Jogos de Londres, em 2012, e outro era um dos concorrentes diretos de Isaquias na prova C1 200m. Andrey Kraitor é o atual bicampeão europeu da modalidade, além de ter sido vice-campeão mundial em 2011.

O brasileiro vai competir em três provas nos Jogos do Rio. Fora a C1 200m, vai brigar por medalha também na C1 1.000m e C2 1.000m.

A lista de banimento russo tem como principal nome Alexander Dyachenko, ouro em Londres e campeão mundial em 2013 na prova K2 200m. Outro cotado à medalha no Rio era Alexey Korovashkov, bronze em Londres no C-2 1000, prova em que Isaquias irá competir no Rio. Os outros dois representantes do país que estão fora do Rio são as canoístas Elena Aniushina e Natalia Podolskaya, que somam duas medalhas em Mundiais.

"Estamos muito tristes que nosso esporte foi atingido. Agimos rápido e removemos todos os atletas envolvidos em evidências do uso de doping", disse em comunicado o secretário geral da ICF, Simon Toulson. 

A entidade afirmou ter repassado para países como Alemanha, Áustria, Iraque e Suécia as vagas que tinham sido conquistadas pela Rússia. A ICF prometeu também continuar a investigar as irregularidades e explicou já ter aplicado punição para 11 dos 25 canoístas citados no relatório que apontou a participação do governo russo em fraudes nos exames de atletas.

As baixas na canoagem se somam à ausência de outros concorrentes de Isaquias na prova C1 200m. Em julho, a ICF comunicou a suspensão das equipes da Romênia e Bielorrússia também pelo uso de doping. 

A punição deixará fora dos Jogos do Rio o atual campeão mundial do C1 200m, o bielorrusso Artsem Kozyr, que garantiu o título na prova em que Isaquias foi bronze em Milão, no ano passado.

ANÁLISE DE SEBASTIAN CUATTRÍN

'Isaquias vai detonar no Rio'

Não tenho dúvida de que o Isaquias Queiroz briga por medalha nos Jogos, seja com ou sem a presença desses concorrentes. Acho inadequado dizer que vai facilitar a vida dele, porque quem vem ao Brasil virá para brigar por medalha e estará preparado para isso. Tenho certeza que o Isaquias vai detonar. Ele não se sente pressionado por estar em casa, está tranquilo.

Na minha opinião é uma tomada de decisão para a melhora do esporte de forma geral. O Isaquias não precisa desse tipo de artifício para se beneficiar ou não na luta pela medalha. Ele está muito preparado para brigar independentemente do que aconteça com os rivais.

Como ex-atleta da canoagem brasileira, acho tudo o que tem acontecido fantástico. Se é para utilizar artifícios e prejudicar os outros nesses sentido, acho válida a decisão tomada, mesmo que pareça drástica ou muito séria. Tudo vai fazer com que os países se preocupem ou pensem duas vezes em elaborar tentativas de burlar o sistema.

*Sebastian Cuattrín foi o primeiro canoísta brasileiro a disputar uma Olimpíada. Esteve em quatro edições dos Jogos

Tudo o que sabemos sobre:
RIo 2016Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.