Basquete masculino fica fora da Olimpíada pela 3a vez seguida

A seleção brasileira masculinade basquete ficou de fora pela terceira vez consecutiva de umaOlimpíada, ao ser derrotada pela Alemanha, nesta sexta-feira,por 78 a 65, nas quartas-de-final do pré-olímpico mundial. Sem o trio da NBA formado por Nenê, Leandrinho e AndersonVarejão -- que pediram dispensa alegando problemas de ordemmédica --, o Brasil foi eliminado da competição que decide ostrês últimos classificados para os Jogos de Pequim. O pré-olímpico mundial, disputado em Atenas, era a últimachance para a equipe voltar a uma Olimpíada pela primeira vezdesde os Jogos de Atlanta-1996, mas o time não conseguiu passarpela mais experiente seleção alemã. O ala Dirk Nowitzki, do Dallas Mavericks da NBA, foi ocestinha da partida, com 20 pontos. O jogador foi decisivo paraconduzir a Alemanha a uma vantagem de 19 pontos no fim do 2oquarto, após o 1o período ter acabado num equilibrado 14 a 13. O Brasil, que chegou a liderar por 19 a 14, sofreu com osarremessos de três pontos da Alemanha, em especial do armadorPascal Roller, que terminou o jogo com 15 pontos. A Alemanhaconverteu 13 bolas de três, ante apenas três do Brasil. Do lado brasileiro, o pivô Tiago Splitter foi o maiorpontuador, com 16 pontos, e liderou a equipe numa tentativa dereação no último período. Mas foi insuficiente. "Ter perdido aqui não é vergonha, nós deixamos tudo naquadra", disse o pivô ao canal Sportv, logo após a partida. "Oimportante é continuar trabalhando, formar um grupo." Antes da competição em Atenas, na qual o Brasil venceu oLíbano e perdeu da Grécia antes do jogo decisivo com osalemães, a seleção desperdiçou a chance de se classificar paraa Olimpíada de Pequim ao perder para a Argentina nopré-olímpico das Américas, em 2007. A eliminação pode resultar na demissão do técnico espanholMoncho Monsalve, que foi contratado com a missão de classificara seleção para Pequim. Além da Alemanha, Croácia e Porto Rico já estãoclassificados para as semifinais do pré-olímpico e seguem nadisputa pelas últimas vagas olímpicas. A última vaga na próximafase será decidida entre Grécia e Nova Zelândia. (Por Pedro Fonseca)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.