Ricardo Bufolin/Panamerica Press
Ricardo Bufolin/Panamerica Press

Bia Ferreira e Arthur Nory levam o Prêmio Brasil Olímpico de 2019

Lutadora de boxe e ginasta são os destaques na premiação dos melhores atletas e treinadores do País em 2019

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2019 | 22h32

O Prêmio Brasil Olímpico coroou dois novos heróis na temporada. Beatriz Ferreira, do boxe, e Arthur Nory, da ginástica artística, ganharam o prêmio de Melhor Atleta do Ano. Ambos foram campeões mundiais em 2019 e conquistam a honraria pela primeira vez na carreira. O anúncio foi feito nesta terça-feira, em cerimônia de gala do "Oscar" do esporte nacional.

Bia Ferreira superou Ana Marcela Cunha, que foi hegemônica na maratona aquática, e Nathalie Moellhausen, campeã mundial de esgrima, na votação entre jornalistas, dirigentes, Comissão de Atletas do COB, ex-atletas e personalidades do esporte. A boxeadora ganhou a medalha de ouro no Mundial de Boxe, em Ulan-Ude, na Rússia, na categoria até 60 kg, ao vencer a chinesa Cong Wang por 5 a 0.

"Estou muito feliz. Este ano foi incrível, tenho que agradecer muito a Deus e a minha família. Eu estou realizada", declarou Bia, assim que recebeu o troféu. "Acreditem em mim. Vou chegar em Tóquio e representar bem o Brasil".

O resultado foi a cereja no bolo da atleta, que acabou de completar 27 anos. Ela teve uma temporada incrível ao obter a impressionante marca de 25 pódios em 26 torneios disputados. Em 2019, Bia Ferreira ainda ganhou outra medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos ao superar a argentina Dayana Sanchez na final em Lima.

Já Arthur Nory, de 26 anos, foi campeão na barra fixa no Mundial de Ginástica Artística, em Stuttgart, na Alemanha. Ele obteve 14,900 e foi o melhor no aparelho. Já no Pan de Lima, ele foi prata na barra fixa, também foi segundo colocado no individual geral e ainda ganhou a medalha de ouro por equipes.

"A primeira vez que participei aqui em 2015, eu via os atletas homenageados e aquilo martelava na minha cabeça. Foi um incentivo pra mim", revelou Arthur Nory. "Aí chegou 2019, que foi um ano incrível pra mim e pra ginástica".

Os principais atletas do País estiveram presentes na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, para prestigiar o evento que foi marcado por homenagens a quem se destacou na temporada, como os membros da delegação verde e amarela nos Jogos Pan-Americanos de Lima, que ajudaram o Time Brasil a conquistar uma campanha histórica e bater o recorde de medalhas.

MELHOR TÉCNICO

A 21.ª edição do Prêmio Brasil Olímpico também premiou Mateus Alves (boxe), considerado o melhor técnico do ano no individual, e Renan Dal Zotto (vôlei), no esporte coletivo. Já os destaques dos Jogos Escolares foram: Pâmela Nievilly (atletismo), Klerton Zaidan (badminton), Maria Luíza Elói (vôlei) e Guilherme Porto (wrestling).

Outro destaque da noite foi a homenagem a seis ídolos que entraram para o Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil (COB): Guilherme Paraense (tiro esportivo), Joaquim Cruz (atletismo), João do Pulo (atletismo), Magic Paula (basquete) Maria Lenk (natação) e Sylvio de Magalhães Padilha (atletismo).

Já na votação popular de Atleta da Torcida, quem levou a melhor foi Hugo Calderano, do tênis de mesa, que contou com a sua popularidade para frear a ascensão de Flávia Saraiva, da ginástica artística, na disputa. "Esse prêmio é de todos os atletas e de todos os familiares. Tenho muito orgulho de receber isso", disse Calderano, em vídeo enviado da China, onde ele está disputando um torneio.

Para Entender

Programação de tv

Veja as principais atrações esportivas do dia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.