Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Toru Hanai/Reuters
Toru Hanai/Reuters

Bill Gates avalia que realização da Olimpíada de Tóquio depende do avanço da vacinação no mundo

Empresário comanda, ao lado da mulher, instituições que se dedicam a financiar e promover a vacina

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2021 | 08h52

O empresário americano Bill Gates afirmou que o destino dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 depende diretamente do andamento das campanhas de vacinação contra a covid-19 no mundo. "Acredito que será necessário acompanhar o avanço" da distribuição das vacinas ao longo dos próximos meses, e sua produção, avaliou o bilionário, em entrevista à agência de notícias japonesa Kyodo, nesta quarta-feira. 

A menos de seis meses para a cerimônia de abertura, os Jogos de Tóquio, adiados em um ano devido à pandemia da covid-19, continuam ameaçados em decorrência do ressurgimento global do coronavírus e à circulação de variantes potencialmente mais perigosas. "Acho que ainda é possível (realizar os Jogos conforme planejado), se as coisas correrem bem", acrescentou o empresário, que promove e financia campanhas de vacinação em países em desenvolvimento por meio da Fundação Bill e Melinda Gates. 

O Japão vive atualmente sua pior onda de infecções desde o início da pandemia, forçando o governo a decretar, no início de janeiro, um novo estado de emergência em onze regiões do país, incluindo a capital Tóquio. Por isso, médicos alertam que o sistema de saúde corre o risco de entrar em colapso, especialmente se os Jogos aumentarem o número de casos com a circulação de pessoas.

Pesquisas recentes feitas no país mostraram que a opinião pública japonesa está cada vez menos favorável à realização dos Jogos em julho deste ano. O presidente da Associação Médica Japonesa, Toshio Nakagawa, alertou, na semana passada, para os riscos de receber espectadores estrangeiros. Nas atuais circunstâncias, seria "impossível" dar-lhes atenção médica em caso de covid-19.

Apesar das circunstâncias, o governo japonês espera que 10.000 médicos e enfermeiros sejam mobilizados para a realização da disputa, que acontece entre os dias 23 de julho a 8 de agosto.  O COI já informou que os Jogos não serão adiados novamente. Qualquer decisão nesse sentido, será para o seu cancelamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.