Bimba decepciona e fecha Mundial de RS:X em 35º lugar; Patrícia é 15ª

Líder do ranking mundial, Ricardo Winicki Santos, o Bimba, foi ao Mundial de RS:X, em Omã, com o objetivo de ficar entre os 10 primeiros colocados. O brasileiro, entretanto, fechou a competição nesta sexta-feira muito longe desta meta. Após uma péssima campanha no último dia de regatas, ele encerrou o Mundial numa modesta 34.ª colocação.

Estadão Conteúdo

23 de outubro de 2015 | 14h45

Bimba já não vinha bem no Mundial, tendo fechado a quinta-feira no 23.º lugar. Nesta sexta, entretanto, nada deu certo. Ele foi desclassificado da primeira regata do dia, terminou em 38.º (entre 42 pranchas) na segunda e não completou a terceira. Assim, despencou para o 34.º lugar, encerrando o Mundial com 203 pontos perdidos.

De qualquer forma, ele já havia chegado a esta sexta-feira sem qualquer chance de disputar a medal race. Ao fim do dia na quinta-feira, ele já tinha 111 pontos perdidos. Ainda que tivesse vencido as três regatas desta sexta, ficaria no 13.º lugar. Afinal, o último windsurfista classificado para a medal race de sábado tem 86 pontos perdidos.

A liderança segue com o francês Pierre Le Coq, que tem 42 pontos perdidos. A briga pelos três lugares do pódio, entretanto, deverá ser acirrada. Os chineses Aichen Wang e Zhichao Zhang estão empatados com 45 pontos, contra 48 do suíço Mateo Sanz Lanz e 52 do espanhol Pastor Lafuente Ivan e do polaco Piotr Myszka. Todos ainda podem ser campeões.

No feminino, Patrícia Freitas foi bem melhor que Bimba. Ela foi segunda colocada na primeira regata desta sexta-feira e ainda conquistou um 29.º lugares. Com 112 pontos perdidos, terminou na 15.ª colocação.

Apesar da boa classificação, ela ficou longe de brigar por um lugar na medal race. A décima colocada, afinal, tem 78 pontos perdidos. O título já é da chinesa Peina Chen, que venceu seis das 11 regatas disputadas e ainda ficou em segundo em outras duas. Malgorzata Bialecka, da Polônia, está em segundo, seguida de Bryony Shaw, da Grã-Bretanha.

O Brasil também foi representado por Bruna Martinelli, que foi a 10.ª colocada na flotilha prata. Na prática, ela terminou 40.º entre 59 competidoras. O resultado do Mundial, de qualquer forma, não faria diferença pensando nos Jogos Olímpicos. Bimba e Patrícia já estão convocados para defender o Brasil, que tem convite para todas as classes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.