Bolt é Super-Homem 2, diz ex-recordista Michael Johnson

Ex-recordista na prova dos 200m rasos, norte-americano escreveu suas impressões sobre a prova do jamaicano

por Michael Jonhson,

21 de agosto de 2008 | 08h25

A vitória de Usain Bolt nos 200 metros rasos no novo tempo recorde de 19s30 foi simplesmente incrível. Esse cara é o Super Homem 2.  Quando eu vi a sua largada na corrida, eu pensei "uau". Foi uma largada muito melhor do que a que ele fez na vitória dos 100 metros — em outro recorde mundial - no sábado.  Sujeitos de 1,95 metro de altura não deveriam conseguir largar deste jeito. Bolt teve a largada mais lenta na pista nos 100 metros, mas aqui nos 200 metros ela foi melhor do que qualquer outra - e isso que havia velocistas bons de largada na pista.  A largada, a transição, a flexão, a chegada — foi tudo simplesmente incrível. Bolt largou pressionando imediatamente Brian Dzingai, do Zimbábue, que é um ótimo corredor de 200 metros, e logo ele já estava fazendo a curva.  Você precisa correr esse trecho em 10s1, mas eu acredito que ele percorreu a curva em 10s, o que é incrível. Depois de deixar todo mundo à sua volta para trás, Usain ainda abriu uma vantagem de cinco a seis metros. A passada larga fez com que ele cobrisse mais trechos da pista a cada passo até a linha de chegada.  Esta é a prova favorita de Bolt e ele queria esse recorde. Ele veio para conquistá-lo e estava focado. Ele sabia que era favorito ao ouro, mas ele deu tudo de si.  Minha preocupação — e o motivo pelo qual eu achei que ele não ia conseguir o recorde mundial aqui — é que ele não estivesse trabalhando em manter sua velocidade, ou seja, na capacidade de continuar em alta velocidade durante toda a prova.  Mas ele mostrou que estava trabalhando nisso e conseguiu cravar os 19s30, um tempo incrível, um desempenho incrível.  O desempenho foi muito melhor do que nos 100 metros, porque nós vimos Bolt dando cada medida de energia de si, até inclinando na chegada. E a inclinada não foi para vencer ninguém na pista, porque não tinha ninguém sequer perto dele.  Ele só estava tentando manter aquela velocidade pelo máximo tempo possível para ficar com o recorde, e ele conseguiu. É uma conquista, e é isso que ele vai levar consigo daqui. Ele trabalhou duro para bater o recorde mundial. Na minha opinião, ele vai agora voltar a focar os 100 metros, sabendo que ele pode tirar um pouco mais dos 9s69. Ele pode largar melhor e chegar nos mais próximo aos 9s60.  Mas, por ora, tudo que eu posso dizer é: parabéns, Usain Bolt.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.