AFP Photo/ Adrian Dennis
AFP Photo/ Adrian Dennis

Bolt revela que sofreu com cansaço e nervosismo antes de iniciar prova preferida

Com tempo de 20s28, jamaicano fica com o 15º tempo da prova

Gonçalo Junior, enviado especial ao Rio, Estadão Conteúdo

16 de agosto de 2016 | 17h07

A marca de 20s28 que o jamaicano Usain Bolt marcou nas eliminatórias desta terça-feira - apenas o 15º tempo na classificação geral - foi o resultado da combinação entre nervosismo e cansaço. Um dia antes da disputa das semifinais de sua prova preferida, os 200 metros, o corredor também está incomodado com o calor.

"Eu estava nervoso porque os 200 metros são meu evento favorito e eu não queria ficar fora da próxima fase. É a sessão da manhã, e eu não sou um cara muito matinal. Estou um pouco cansado, mas isso já era esperado. Vejo muitos caras jovens tentando correr rápido na eliminatória, mas, para mim, o mais importante é vencer a disputa. Não corri muito sério", afirmou o jamaicano, em uma rápida entrevista após as baterias classificatórias desta terça-feira.

Depois de conquistar o ouro olímpico nos 100 metros, o jamaicano mostrou tranquilidade. O campeão venceu sua bateria dosando o ritmo. Na semifinal, que será realizada na noite desta quarta-feira, a partir das 22 horas, o atleta terá a companhia dos favoritos da prova, que também se pouparam na primeira fase eliminatória. São eles: Yohan Blake (3º geral), Nickel Ashmeade (4º), Justin Gatlin (22º), Andre de Grasse (1º) e Lashawn Merritt (4º).

Após as semifinais desta quarta-feira, a final dos 200 metros está marcada para acontecer na quinta, às 22h30, no Engenhão, onde esperar voltar a se consagrar após ter se tornado, no Rio, o primeiro tricampeão olímpico da história dos 100m.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.