Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Brasil chega a acordo para hipismo do Rio-2016 não deixar País

Problema com Ministério levaria competição para EUA ou Europa

Estadão Conteúdo

30 de outubro de 2015 | 18h37

O Brasil e a União Europeia chegaram nesta sexta-feira a um acordo que deve acabar com as barreiras para que as provas de hipismo dos Jogos Olímpicos de 2016 sejam realizadas no País. A demora do Ministério da Agricultura em acertar os protocolos sanitários para a vinda dos cavalos do exterior fez a Federação Internacional de Hipismo (FEI, na sigla em inglês) especular transferir as competições para os EUA ou para a Europa.

Para esta sexta-feira estava prevista uma reunião em Bruxelas (Bélgica), onde representantes dos Ministérios do Esporte e da Agricultura, da União Europeia e da APO discutiriam a aprovação de um modelo de certificação veterinária internacional que permitiria aos animais saírem do Brasil e serem aceitos em outros países sem restrições sanitárias.

Em entrevista à agência de notícias The Associated Press, o presidente interino da Autoridade Pública Olímpica (APO), Marcelo Pedroso, disse que as normas europeias para transporte de cavalos ao exterior serão aceitas no Rio-2016.

"Ao resolver esse assunto com a União Europeia, estamos tratando da maioria dos 300 cavalos que estarão nos Jogos Olímpicos. Primeiro aceitamos as regulações do Mercosul e formulamos regulações especiais para os Jogos Olímpicos. Com esta terceira alternativa que acertamos, podemos receber os cavalos europeus e os que já competem na Europa", explicou Pedroso. Maiores detalhes do acordo devem ser revelados apenas na semana que vem.

Há três semanas, o presidente da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), Luiz Roberto Giugni, revelou que o Brasil corria o risco de ver a sede de hipismo sair do País. "Já existe plano B e C. A competição poderá ser em outro país", revelou à época.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.