AFP
AFP

Brasil pega Argentina por vaga nas oitavas do Mundial de Handebol

Brasileiras entram em quadra nesta quinta, às 13h, na Dinamarca

O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2015 | 07h00

Em busca do bicampeonato, o Brasil enfrenta a Argentina nesta quinta-feira, às 13 horas (de Brasília), para confirmar a classificação para as oitavas de final do Mundial Feminino de Handebol em Kolding, na Dinamarca. No último encontro entre as duas seleções, em julho, as brasileiras levaram a melhor e conquistaram o pentacampeonato dos Jogos Pan-Americanos de Toronto.

"Como em todos os esportes, Brasil e Argentina tem muita rivalidade. Elas têm se saído muito bem nas últimas competições, incluindo a final dos Jogos Pan-Americanos. Vamos analisar qual tipo de tática deveremos usar. Todas as equipes desse grupo têm características diferentes. Com certeza, esse será um jogo em que o psicológico precisa estar bem forte", explica o técnico Morten Soubak.

Já a meia direita Deonise pede foco contra as Argentinas. "Precisamos estar bem no ataque e na defesa, mas o nosso grande diferencial é a marcação. Já mostramos que isso realmente ganha um jogo", apostou a gaúcha. 

A seleção brasileira, comandada pelo treinador dinamarquês, chega na quarta rodada do Mundial na liderança do Grupo C depois de vencer a Alemanha (24 a 21), arrasar a República Democrática do Congo (26 a 11) e empatar com a Coreia do Sul (24 a 24) na estreia. 

Até o momento, os resultados da chave não surpreendem e colocam o País na briga pela primeira força com as francesas e as sul-coreanas. O Brasil fecha a primeira fase justamente contra a França na sexta-feira, às 15h15, em jogo que deve definir o primeiro colocado do Grupo C. Quem perder, no entanto, cai para terceiro e percorrerá um caminho complicado na próxima fase.

POLÊMICA

O uso de tecnologia no Mundial foi abolido pela Federação Internacional de Handebol (IHF) depois de uma grave falha no jogo entre França e Coreia do Sul na terça-feira. Com o auxílio da câmera do gol, o árbitro de mesa não validou um gol das sul-coreanas, porém ele recebeu apenas uma parte do vídeo do técnico que comanda o sistema. 

Na sequência completa, a bola bate duas vezes no travessão e no chão, ultrapassando a linha do gol. A falha prejudicou ainda mais a equipe asiática porque o jogo com as europeias terminou empatado em 22 a 22 e, se o gol fosse validado, poderia mudar o resultado final da partida. Após uma reunião de emergência, a IHF cancelou o uso de vídeo e também suspendeu todos os envolvidos no caso.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.