Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Brasil vai garantir segurança nos Jogos Olímpicos, diz ministro

José Eduardo Cardozo diz que modelo da Copa será aproveitado

CARLA ARAÚJO E ISADORA PERON, O Estado de S. Paulo

16 de novembro de 2015 | 13h21

Após os ataques terroristas em Paris, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta segunda-feira que o governo está fazendo "tudo aquilo que pode ser feito" para garantir a segurança durante os Jogos Olímpicos do Rio no ano que vem.

Segundo o ministro, o País vai repetir o modelo usado durante a Copa do Mundo do ano passado, já que o evento transcorreu sem maiores problemas. "Podemos ficar seguros que tudo aquilo que pode ser feito está sendo feito no Brasil para a segurança na Olimpíada. O êxito da segurança pública na Copa do Mundo se repetirá agora", disse.

Cardozo afirmou que as entidades brasileiras mantêm "constante ligação" com o serviço de inteligência de outros países para trocar informações sobre possíveis ataques terroristas e garantiu que o País tem um "excelente padrão" para garantir a segurança durante grandes eventos.

Por ser o principal evento esportivo do mundo, os Jogos Olímpicos já foram palco de atentados terroristas. O mais grave aconteceu em 1972, na Olimpíada de Munique, quando 11 membros da equipe olímpica de Israel foram mortos. Em Atlanta, em 1996, duas pessoas morreram e 111 pessoas ficaram feridas após a explosão de uma bomba próximo ao local de um show ligado aos Jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.