Banco de Imagens Petrobras/André Motta
Banco de Imagens Petrobras/André Motta

Brasil estima ter 400 atletas e mira lugar entre os 10 melhores

COB projeta conquistar 30 medalhas e ter até 18 modalidades no pódio

O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2015 | 05h00

Com 300 vagas asseguradas por ser país-sede, o Brasil contará com uma delegação recorde nos Jogos Olímpicos do Rio. A estimativa do Comitê Olímpico do Brasil (COB) é que o grupo seja composto por mais de 400 atletas em 2016. À medida que aumenta o número de representantes, também cresce a expectativa por resultados. Depois do 15.º lugar na contagem geral de medalhas na Olimpíada de Londres, em 2012, o Brasil trabalha para se posicionar entre os dez melhores países na próxima edição. Isso indica que apenas uma pequena parcela desse contingente sairá vencedora.

Para alcançar o top 10, o COB projeta que seja necessário conquistar entre 27 e 30 medalhas no Rio e chegar ao pódio com representantes de 16 a 18 modalidades. Os números foram estabelecidos depois de um estudo das últimas edições dos Jogos.

Em Pequim (2008), o décimo lugar ficou com a Ucrânia, com 27 medalhas, enquanto a Itália garantiu a mesma posição com 28 em Londres (2012). Vale lembrar que o quadro de medalhas tem como critério o número de ouros, mas o COB se baseia na quantidade total de pódios.

Medalha de ouro nas argolas em Londres, o ginasta Arthur Zanetti quer manter seu reinado. Na vela, com a volta da classe Laser depois de oito anos, Robert Scheidt tem a chance de conquistar sua sexta medalha olímpica, a terceira dourada. Já Fabiana Murer, do salto com vara, decepcionou na edição passada e busca fechar seu último ciclo com chave de ouro.

No futebol, a seleção tem a chance de se redimir em casa e conquistar o ouro inédito. A equipe será liderada por Neymar, que vai preencher uma das três vagas acima de 23 anos. No feminino, Marta – cinco vezes melhor do mundo – é o reforço.

Os jovens talentos também são esperança de medalha no Rio. Campeão mundial sub-17, Marcus Vinícius D’Almeida tem obtido resultados expressivos no tiro com arco, assim como Isaquias Queiroz na canoagem velocidade e Hugo Calderano no tênis de mesa. Outro destaque é Ana Sátila, na canoagem slalom. Aos 19 anos, ela conquistou ouro na prova de canoa (C1) e prata na de caiaque (K1) no Pan-Americano de Toronto.

A carismática Flávia Saraiva e a promissora Rebeca Andrade – que se recupera de cirurgia no joelho direito – são as principais apostas da nova geração da ginástica artística. No salto com vara, o nome entre os novatos é Thiago Braz. Apesar do desempenho ruim no Pan, o atleta quebrou o recorde sul-americano (5,92 m) neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Vôlei é o preferido do torcedor que busca ingressos para 2016

Estão esgotadas as entradas para a abertura e o encerramento

O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2015 | 05h00

Já estão esgotados os ingressos para as cerimônias de abertura e encerramento, triatlo, maratona aquática e nado sincronizado para os Jogos Olímpicos. Em todos os outros esportes há partidas, etapas ou sessões esgotadas. Nesta terça-feira, o resultado do segundo sorteio foi divulgado por e-mail para os torcedores que fizeram o pedido.

Na liderança das modalidades está o vôlei, seguido pelo vôlei de praia. O interesse do brasileiro, no caso, é pela grande chance de medalhas. “O vôlei hoje é um esporte muito popular dentro e fora do Brasil. A procura de ingressos para os Jogos do Rio é um exemplo disso. Teremos que lidar com pressão e expectativa, mas isso faz parte e não podia ser diferente”, explicou José Roberto Guimarães, técnico da seleção feminina. Depois vem, pela ordem, basquete, futebol e atletismo.

As duas primeiras etapas de pedidos de ingressos para a Olimpíada do Rio já terminaram, mas ainda será possível comprar bilhetes para as provas. O Comitê Rio-2016 começará a venda direta de entradas no site (www.rio2016.com/ingressos) a partir de outubro, mas ainda não é possível estimar totalmente nem valores nem as modalidades que terão lugares disponíveis na competição do ano que vem. 

Os organizadores dos Jogos devem colocar à venda uma carga nova de ingressos, além das entradas que forem devolvidas na segunda fase de sorteio. O interessado terá de fazer seu cadastro no site da entidade. O pagamento deverá ser feito à vista, por meio de cartão de débito, diferentemente do processo do início das vendas, quando era possível usar cartão de crédito com valor parcelado. A compra será por ordem de pedido. Quem já foi contemplado, poderá comprar outros ingressos. 

O torcedor também definirá como vai preferir receber seu ingresso. É possível pedir por Sedex, com acréscimo de R$ 12 à fatura. O tíquete será entregue customizado com figuras comemorativas. Ele deve chegar ao comprador em maio de 2016. Também será possível retirar a entrada convencional nas bilheterias a partir do mês seguinte. 

Após a fase de venda direta na internet, as entradas restantes poderão ser compradas e retiradas pessoalmente em bilheterias localizadas perto das áreas de competição no Rio de Janeiro (Barra da Tijuca, Copacabana, Maracanã e Complexo de Deodoro) e nas outras cidades-sede do futebol (Salvador, Manaus, Brasília, São Paulo e Belo Horizonte). Apenas nesse momento será aceito o pagamento em dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.