Divulgação
Divulgação

Brasil fica sem pódio no Mundial e não define nomes para Olimpíada

Copa Brasil de Vela deve definir nomes para evento em 2016

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

16 de outubro de 2015 | 15h09

Ainda não foi desta que vez que foi definida a dupla que representará o Brasil na classe 470 Masculina de Vela na Olimpíada. Nesta sexta-feira chegou ao fim a fase de classificação do Mundial de 470, em Haifa, Israel, com nenhum dos barcos nacionais cumprindo os requisitos da Confederação Brasileira de Vela (CBVela) para serem convocados.

Para carimbar o passaporte e assumir a vaga dada ao Brasil por convite, um barco tinha que ficar entre os 15 primeiros do Mundial, com uma campanha duas vezes melhor que do concorrente. Geison Mendes/Gustavo Thiesen, do Veleiros do Sul (RS), que participaram da flotilha ouro, tinham a oportunidade de ficar entre os 15 melhores, mas terminaram só em 26º.

Mesmo assim, ficaram à frente de Henrique Haddad/Bruno Bethlem, do Iate Clube do Rio, que terminaram no 33º lugar. Agora o Conselho Técnico da Vela vai se reunir para tentar escolher os convocados. Caso não haja unanimidade, a Copa Brasil de Vela valerá como seletiva final.

Na 470 Feminina, a dupla brasileira na Olimpíada já está definida e será Ana Luiza Barbachan/Fernanda Oliveira. A parceria, uma das melhores do mundo e favorita à medalha no Rio-2016, não competiu em Israel porque Ana Luiza se recupera de uma lesão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.