Comitê Olímpico do Brasil
Comitê Olímpico do Brasil

Brasil ganha sua primeira medalha nos Jogos Olímpicos da Juventude

Quarteto da natação chega na segunda posição e garante a prata no revezamento 4x100 metros livre misto

Paulo Favero, Estadao Conteudo

07 de outubro de 2018 | 21h26

O Brasil conquistou neste domingo sua primeira medalha nos Jogos Olímpicos da Juventude, que estão sendo disputados em Buenos Aires, na Argentina. O quarteto da natação formado por André Calvelo, Lucas Peixoto, Rafaela Raurich e Ana Carolina Vieira chegou na segunda posição, ganhando a medalha de prata no revezamento 4x100 metros livre misto. A Rússia ficou com o ouro.

"A gente já imaginava que os russos viriam fortes, até porque tem grandes atletas. Na prova eliminatória, eles pouparam seus três melhores nadadores e quase não pegaram a final", comentou Calvelo, que ainda vai disputar o revezamento masculino e as provas de 50m e 100m livre.

O expressivo resultado ocorre em uma disputa com homens e mulheres juntos, justamente em um evento que prega a igualdade de gênero. Para se ter uma ideia, pela primeira vez a quantidade de atletas mulheres é igual a de homens. São 4 mil esportistas no total, metade masculina e metade feminina.

"É muito bom ter essa igualdade", comentou Ana Carolina. Sua companheira Rafael Raurich completou. "Nosso revezamento é bem entrosado e nos damos bem fora da piscina", continuou. O quarteto ficou emocionado ao subir ao pódio e sabe que uma medalha nesta competição será ótima para o currículo deles.

No primeiro dia de competição, esta foi a única medalha do Brasil. No triatlo, Giovanna Lacerda ficou na 14ª posição. No tênis de mesa, Guilherme Teodoro ganhou uma partida e perdeu outra, enquanto Bruna Takahashi venceu seu único jogo do dia. No judô, João Santos perdeu na repescagem e não chegou à disputa do bronze. No ciclismo BMX, Maitê Naves chegou na final, mas acabou na oitava posição.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.