Rungroj Yongrit / EFE
Rungroj Yongrit / EFE

Brasil já tem sua melhor marca dos Jogos Olímpicos; só falta descobrir a cor das medalhas

Número de 20 pódios pode aumentar com modalidades que ainda têm chances, como vôlei masculino

Redação, O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2021 | 15h09

Embora a posição ainda não apareça no quadro de medalhas de forma oficial, o Brasil já bateu seu recorde de conquistas nos Jogos Olímpicos. Nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 são 20 pódios para o Time Brasil, superando a marca anterior de 19 da Olimpíada do Rio, em 2016.

O quadro registra 16 medalhas na somatória das provas. Mas o País já tem prata garantida em três modalidades: futebol masculino, vôlei feminino e boxe (duas categorias). Todas elas podem virar ouro, o que faria do Brasil também ultrapassar o desempenho nesse quesito com a disputa no Rio, quando os atletas ficaram com sete conquistas.

No Japão, o Brasil já tem quatro campeões, entre eles Italo Ferreira e Rebeca Andrade, que será a porta-bandeira na festa de encerramento, domingo de manhã. A conta pode mudar para mais. Há algumas modalidades que ainda podem surpreender nessa reta final dos Jogos, como hipismo e maratona, e também a disputa de bronze do vôlei masculino.

Nas demais posições, os chineses dominam o quadro de medalhas. O país fez em Tóquio 36 campeões nas mais diversas modalidades esportivas até agora. Ao todo, subiu ao pódio 79 vezes. Não é o país que mais conquistou medalhas. Os Estados Unidos assumiram a ponta nesta corrida, com 98 pódios. Não tem ninguém próximo desta marca. Eles não serão alcançados, portanto. 

De ouro, os americanos somam 31 vitórias. Não é pouco. Os anfitriões ocupam a terceira colocação, com 51 conquistas e 24 medalhas de ouro. A briga pela quarta posição traz um pega entre três nações olímpicas: Grâ-Bretanha, Atletas da Rússia e Austrália. Esses dois últimos têm 17 conquistas de ouro, enquanto que os britânicos somam 18.

A Itália aumentou sua conta também graças à conquista da marcha atlética de 20km no feminino. O Brasil poderia estar neste pódio, com Érica Sena, que estava em terceiro lugar, mas recebeu uma punição na reta final e teve de pagar dois minutos parada, sem andar. Chegou na 11ª colocação. Ao todo, 89 países ganharam ao menos uma medalha em Tóquio.

]

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.