Brasil joga melhor, mas só empata com Holanda em último grande teste no handebol

Time nacional 'relaxa' nos minutos finais e cede resultado de 23 a 23

Demétrio Vecchioli, enviado especial ao Rio, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2016 | 14h57

A seleção brasileira feminina de handebol ficou com um gostinho de quero mais no seu último grande teste antes da estreia na Olimpíada. Jogando no ginásio do Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEx), no pé do Pão de Açucar, neste domingo, o Brasil foi melhor o tempo todo, mas permitiu a reação da Holanda nos minutos finais e ficou só no empate, por 23 a 23, desperdiçando o último ataque.

Mais importante do que o placar foi a atuação do time brasileiro, que foi campeão mundial em 2013 e, desde a campanha ruim no Mundial do ano passado, não conseguia deslanchar. Desta vez, jogou bem na maior parte do tempo e ainda controlou os nervos nos minutos finais para segurar o resultado quando o rival vinha embalado.

Este foi o segundo e último amistoso da seleção contra a Holanda no CCFEx. O primeiro, fechado ao público, aconteceu na quinta-feira e o Brasil também venceu, por 29 a 27. O jogo deste domingo estava marcado para acontecer em Cabo Frio (RJ), para onde as holandesas foram já na sexta-feira, mas a chuva no litoral sul do Rio deixou o piso do ginásio úmido e a Holanda para que o local da partida fosse alterada.

Por acontecer dentro da casa do Time Brasil no Rio, uma vila militar fechada, estavam na arquibancada apenas alguns profissionais de imprensa e membros da delegação brasileira, entre eles Franciela Krasucki e Bruna Farias, do atletismo, e parte da comissão técnica do vôlei de praia.

Apesar do confronto ser amistoso, nenhum dos dois times pegou leve. A Holanda poupou sua melhor jogadora, Estavana Polman, durante boa parte do jogo, da mesma forma que o Brasil começou o jogo com Alexandra no banco de reservas.

Nos primeiros minutos, aliás, a seleção tirou Morten do sério. Foram pelo menos cinco minutos sem conseguir criar oportunidades de gol. Uma bronca aos berros serviu para acordar o time, que depois disso deslanchou.

O Brasil chegou a abrir 11 a 6, mas, nos minutos finais do primeiro tempo, voltou a relaxar e permitiu à Holanda encostar em 11 a 9. O placar se abriu de novo na volta do intervalo, com o Brasil ampliando a vantagem para seis gols.

Na parte final da partida, a Holanda conseguiu encontrar brechas na defesa brasileira e, contando muitas vezes com uma goleira-linha, conseguiu empatar. O técnico Morten Soubak parou de rodar o time e deixou as titulares em quadra - entre elas Alexandra. Com 20 segundos no cronômetro, o Brasil teve direito a um último ataque, para ganhar o jogo. Mayra arremessou de longe e acertou a trave.

Até a estreia contra a Noruega, no sábado que vem, logo cedo, o Brasil ainda faz mais um amistoso. Joga diante da Argentina, terça de manhã, de novo na Urca. Essa partida não deve contar com a presença da imprensa. A Argentina está na Olimpíada, mas não tem o mesmo nível do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.