Brasil perde dos EUA e repete a prata no futebol feminino

De novo na prorrogação, a seleçãobrasileira de futebol feminino perdeu para os Estados Unidos,por 1 x 0, e repetiu nos Jogos Olímpicos de Pequim a medalha deprata conquistada há quatro anos. O adversário era o mesmo de Atenas e o panorama não foimuito diferente nesta quinta-feira: o Brasil jogou melhor, masas norte-americanas foram mais eficientes. Atuaram na defesa,seguraram o 0 x 0 no tempo normal e conseguiram um gol no tempoextra num chute cruzado. Quatro anos atrás, os EUA levaram o ouro diante do Brasilapós ganharem por 2 x 1. O time liderado por Marta também foivice-campeão mundial, no ano passado, quando perdeu para aAlemanha. A medalha de bronze em Pequim ficou com a Alemanha, quebateu o Japão por 2 x 0. A final olímpica no Estádio dos Trabalhadores contou com apresença de Pelé, do presidente do Comitê OlímpicoInternacional, Jacques Rogge, do presidente da Fifa, JosephBlatter, além do astro do basquete norte-americano KobeBryant. O jogo começou nervoso. As duas equipes pareciam temerosasem atacar e travavam a disputa no meio-campo. Aos poucos, os times começaram a se soltar. Aos 31 minutos,Formiga roubou bola no meio-campo e lançou Cristiane, queadiantou muito e trombou com a goleiro Hope Solo, que ficou coma bola. Três minutos depois, Marta passou entre duas adversáriaspela direita, e arriscou para o gol, mas o chute saiu torto,para fora. Aos 41 minutos foi a vez do time norte-americano errar afinalização, num chute da entrada da área que passou por cimado travessão. No segundo tempo, o Brasil ficava mais com a bola noataque, mas sem conseguir finalizar bem. Aos 17 minutos, Martaavançou e chutou de fora da área, mas muito alto. Dez minutos depois, Marta ganhou das zagueiras e chutouforte de dentro da área. Solo fez ótima defesa no reflexo. O técnico Jorge Barcellos, então, fez a primeirasubstituição no jogo: Fabiana entrou no lugar de Daniela Alves,aparentemente cansada. Nos minutos finais, os Estados Unidos foram ao ataque e,restando quatro minutos, Angela Hucles chutou bem no canto e agoleira Barbara foi buscar. Aos 44, a atacante norte-americana ficou cara a cara com agoleira brasileira. Tentou encobrir, mas Barbara fez outragrande defesa, e o jogo foi para a prorrogação. Logo aos 5 minutos do tempo extra, Carli Lloyd marcou o goldos EUA, em um chute cruzado de perna esquerda. O Brasil se lançou ao ataque, mas de maneira desordenada.Teve até chances de empatar nos minutos finais, mas acabouamargando, mais uma vez, o vice-campeonato diante dasnorte-americanas. (Texto de Tatiana Ramil; Edição de Pedro Fonseca)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.