Brasil perde o ouro no vôlei de praia masculino em Pequim

Márcio e Fábio Luiz são derrotados na final pelos norte-americanos Rogers e Dalhausser e ficam com a prata

Redação,

22 de agosto de 2008 | 01h11

Não foi desta vez que o Brasil conquistou sua segunda medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim. Na manhã desta sexta-feira (horário chinês), Márcio Araújo e Fábio Luiz foram derrotados pelos norte-americanos Todd Rogers e Phil Dalhausser por 2 sets a 1, com parciais de 23/21, 17/21 e 15/4, na decisão do vôlei de praia na Arena de Chaoyang.Veja também: Insatisfeitos com prata, Márcio e Fábio vão reiniciar do zero Ricardo e Emanuel ganham o bronze no vôlei de praiaA campanha brasileira na Olimpíada de PequimApesar da derrota, o pódio do vôlei de praia masculino teve uma dobradinha verde-e-amarela pela primeira vez desde que o esporte passou a integrar o calendário dos Jogos, em Atlanta/1996. Também nesta sexta, Emanuel e Ricardo ganharam o bronze após derrotarem os brasileiros naturalizados georgianos Jorge e Renatão.O cearense Márcio e o capixaba Fábio Luiz disputaram a primeira Olimpíada juntos - Márcio atuou em 2004 ao lado de Benjamin, mas foi eliminado na fase oitavas-de-final. A dupla, que sofreu para se classificar para os Jogos (venceu a disputa com Pedro e Harley), não era favorita à medalha de ouro.Márcio e Fábio Luiz levaram um susto ao longo da fase de grupos. Eles sofreram uma derrota por 2 sets a 1 para os austríacos Doppler e Gartmayer e tiveram a campanha em Pequim ameaçada. No entanto, a dupla readquiriu a confiança e cresceu na fase mata-mata - a principal vitória aconteceu sobre os compatriotas Ricardo e Emanuel nas semifinais.A disputa da final, cercada de nervosismo, foi complicada para os brasileiros, mesmo com o apoio dos torcedores chineses. Márcio e Fábio Luiz sofreram a terceira derrota para Rogers e Dalhausser em oito confrontos na história - o bom retrospecto da dupla verde-e-amarela não se confirmou na decisão olímpica.Os brasileiros já conquistaram quatro medalhas no vôlei de praia nos Jogos. Além da prata de Márcio e Fábio Luiz e do ouro e do bronze de Emanuel e Ricardo, em 2004 e 2008, respectivamente, o País foi prata com Zé Marco e Ricardo em 2000. As mulheres, que passaram em branco em Pequim, somam um ouro (com Jackie Silva e Sandra Pires), três pratas e um bronze.JOGO DUROA dupla brasileira entrou bem em quadra nesta sexta-feira e chegou no início do primeiro set a abrir cinco pontos de vantagem. No entanto, permitiu uma reação rápida dos norte-americanos, que mostraram muita regularidade e um forte poder de reação.Com isso, o primeiro set ficou muito equilibrado e só foi decidido nos pontos finais. No último ponto da parcial, os nervosismo dos brasileiros atrapalhou e os EUA aproveitaram um erro de recepção para sair na frente MEDALHAS DO BRASIL NO VÔLEI DE PRAIA EM OLIMPÍADAS 1996 - Ouro - Jacqueline Silva e Sandra Pires 1996 - Prata - Mônica Rodrigues e Adriana Samuel 2000 - Prata - Zé Marco e Ricardo 2000 - Prata - Adriana Behar e Shelda Bede 2004 - Ouro - Ricardo Santos e Emanuel Rego 2004 - Prata - Adriana Behar e Shelda Bede 2008 - Prata - Fábio Luiz e Márcio 2008 - Bronze -  Zé Marco e RicardoJá o segundo set começou mais equilibrado, com as duas duplas trocando pontos. Quando os Estados Unidos esboçaram abrir uma boa vantagem, Márcio acertou uma seqüência de saques e colocou o Brasil na frente. Depois disso, foi só caminhar com tranqüilidade até o fim do set.No entanto, o terceiro set, ao contrário do que se poderia esperar em uma decisão olímpica, foi um verdadeiro passeio dos Estados Unidos. Dalhausser bloqueou praticamente todas as jogadas brasileiras e o time norte-americano venceu o jogo com tranqüilidade. TRISTEZAApós o jogo em Pequim, a dupla brasileira mostrou estar abatida com o resultado negativo na decisão da Olimpíada. "Não foi dessa vez, tivemos muita força e garra, ninguém mais do que eu queria este ouro", lamentou Fábio Luiz, entrevista à TV Globo.Já Márcio agredeceu todos aqueles que torcerampelo Brasil na final. "Ficou aquele gostinho de quero mais, mas as vezes a gente não acerta. Batalhamos e lutamosmuito para atingir nosso objetivo, mas eles jogaram muito bem", assinalou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.