Brasil perde para os EUA e fica com a prata no vôlei masculino

A seleção brasileira masculina de vôleinão encontrou respostas para os saques e os bloqueios deClayton Stanley e nem para a defesa dos Estados Unidos nestedomingo, e ficou com a medalha de prata dos Jogos de Pequimapós uma derrota por 3 sets a 1. Os EUA juntam-se agora à União Soviética como únicasequipes a conquistarem três ouros olímpicos -- osnorte-americanos foram campeões também em Los-Angeles-1984 eSeul-1988. Já o Brasil, ouro em Barcelona-1992 e Atenas-2004, perdeu aoportunidade de chegar a esse patamar e de se juntar à equipefeminina como campeões em Pequim. O choro tomou conta dos brasileiros após o jogo. Bruninho,Dante e Marcelinho não esconderam as lágrimas, enquanto Gibasaía imediatamente para o vestiário, de cabeça baixa. "Não foi um jogo muito bom, tivemos muitos erros, nãoconseguimos suportar a pressão nos momentos difíceis. Massaímos com a cabeça erguida. Volto com essa prata com muitoorgulho. O meu melhor eu fiz aqui dentro", disse Marcelinho àTV. No sábado, a seleção brasileira feminina de vôlei derrotoutambém os Estados Unidos para conquistar sua primeira medalhade ouro. Essa foi a segunda vez que os dois finalistas dascompetições masculina e feminina foram os mesmos -- em 1968,União Soviética e Japão se enfrentaram nas duas decisões. No mês passado os Estados Unidos derrotaram o Brasil nasemifinal da Liga Mundial, no Rio de Janeiro, calando o ginásiodo Maracanãzinho, o que pode ter ajudado no resultado da finaldeste domingo. O Brasil terminou em quarto lugar na Liga,depois de perder a decisão do bronze para a Rússia, o piorresultado na competição em 10 anos. Em Pequim, a seleção brasileira tinha perdido apenas umjogo, para a mesma Rússia, no terceiro jogo da primeira fase. Já os Estados Unidos estavam invictos e conseguiram chegarà final após um fato trágico, o assassinato do sogro do técnicoHugh McCutcheon, morto a facadas por um suicida chinês no dia 9de agosto. Ele só voltou ao time no último jogo da primeirafase. "A equipe norte-americana fez um grande jogo hoje. Tentamosde tudo quanto foi jeito, e não deu. Vamos para a frente,saímos de cabeça erguida. O time está de parabéns, porque ésempre uma medalha", disse Gustavo. O Brasil começou o primeiro set com um jogo muito rápido e,contando com vários erros dos adversários no ataque e no saque,abriu logo vantagem de 10-6. Os EUA até tentaram reagir eClayton Stanley chegou a dar um saque a 111 km/h, mas o Brasilmanteve a superioridade e fechou a parcial em 25-20 semdificuldades. No segundo set, Stanley lançou bombas no saque contra adefesa do Brasil e os EUA chegaram a fazer 6-0 no placar,incluindo com um ace do jogador norte-americano, mandado a 118quilômetros por hora. Giba era o mais caçado pelas bombas deStanley. Os brasileiros tentavam explorar o bloqueio adversário, masa defesa dos norte-americanos estava muito bem armada e, sem seabalar com as fortes vaias a cada saque, eles fecharam em25-22. O terceiro set começou bastante equilibrado e o placarpermanecia invariavelmente empatado, fazendo com que o jogo depaciência tomasse conta da quadra. E a paciência dosnorte-americanos acabou prevalecendo, quando finalmenteconseguiram abrir uma vantagem no placar, com 12-9. O Brasil mostrava desatenção em quadra, levando Bernardinhoà loucura no banco e deixando a torcida muda nas arquibancadas.Sem nenhuma vibração, mostrando total abatimento, osbrasileiros não conseguiram superar o bloqueio dosnorte-americanos, nem defender, perdendo por 25-21. O quarto set começou praticamente como o anterior, comequilíbrio no placar. Aos poucos o Brasil conseguiu abrirvantagem mas já no final voltou a ficar acuado e sucumbiu aobloqueio e defesa dos norte-americanos, que fecharam em 25-23com uma cortada de Stanley. (Texto de Camila Moreira)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.