Brasil treina contra Alemanha de olho nas 4as do vôlei: 3 a 0

A seleção masculina de vôlei do Brasilderrotou a Alemanha, por 3 sets a 0, nesta segunda-feira, em umjogo que serviu como treinamento para o técnico Bernardinhopreparar a equipe para a próxima fase eliminatória daOlimpíada. O time errou menos que em partidas anteriores econtou com a volta do meio-de-rede Rodrigão na maior parte dojogo. O Brasil, que ficou em primeiro lugar no Grupo B depois quea Rússia perdeu para Polônia também nesta segunda-feira, pegaránas quartas-de-final o quarto colocado do Grupo A, que somenteserá definido no final da rodada. Venezuela, China e Japão sãoos candidatos. "Fomos colocados à prova na recepção hoje. No ataque aindadesperdiçamos chances, mas foram poucas coisas", disse otécnico Bernardinho depois do jogo contra a Alemanha, queparticipa no vôlei masculino de sua primeira Olimpíada desde1972, e veio de três derrotas e uma vitória no torneio. O jogo, apesar das parciais apertadas (25-22, 25-21 e25-23), foi tranquilo para a seleção brasileira que testouRodrigão, que vem recuperando ritmo de jogo desde que sofreuuma ruptura no ligamento do joelho esquerdo, cinco meses antesdos Jogos de Pequim. Bernardinho também aproveitou maisAnderson e Bruno. "Não vim aqui para passear, estou pronto para jogar", disseRodrigão depois da vitória do Brasil, que contou mais uma vezcom o capitão Giba jogando toda a partida, afastando de vezpreocupações de que as dores que sentiu com uma tendinitecrônica no ombro direito possam ameaçar a equipe. A partida não chegou a ser um passeio, com a Alemanhaabusando de bombas no saque e cortadas violentas que trouxeramdificuldades para a defesa do Brasil. O único susto aconteceuno segundo set, quando o líbero Escadinha tentou salvar umabola perdida. Ao pular uma placa que delimita a quadra, Escadinha nãopercebeu que atrás dela havia um banco. Acabou pisando nele coma perna esquerda, forçando o joelho recém-operado. O jogadorcaiu no chão sentindo dores no local, mas depois do susto selevantou com ajuda de companheiros e voltou para o jogo. "Se eu não vou (na bola), os caras reclamam, e se eu voueles reclamam também", disse o líbero. "Fiquei assustado porquedoeu o joelho esquerdo na hora", acrescentou. Bernardinhominimizou o excesso de garra de Escadinha. "Não dá para eudizer para o cara contrariar sua própria natureza". BOMBA NO ATAQUE O time brasileiro começou o jogo mais tranquilo que empartidas anteriores, enquanto a Alemanha perdeu pontos comerros de ataque. Mas Jochen Schops deu trabalho à defesabrasileira com pancadas cruzadas que eram recepcionadas comdificuldade por Giba e Escadinha. Bernardinho mandou o time aplicar pressão contra os alemãese tirou Marcelinho por Anderson. Com 21 a 18 para o Brasil e aosom de Zeca Pagodinho no ginásio, Dante bloqueou deixadinha deSchops, fechando o set em 25 a 22.Já na segunda parcial, a seleção começou trocando combinaçõesde ataque na entrada e saída da rede. Bernardinho colocouRodrigão no meio-de-rede com Dante e André Nascimento. Logo noprimeiro ataque, Rodrigão explode a bola contra o líbero alemãoThomas Kroger, que não conseguiu defender a cortada. Novamente, o Brasil esticou o marcador a seu favor noinício, mas o bloqueio brasileiro apresentou falhas,compensadas no placar por erros de recepção da Alemanha. O setacabou em erro de saque alemão, 25 a 21. No terceiro set, a Alemanha conseguiu sair na frente eabriu uma vantagem de 8 a 2 em falha do bloqueio de Rodrigão eDante, para indignação de Bernardinho. Mas o Brasil conseguiu empatar de novo em erro de ataque dotime alemão. Giba acordou para o jogo, defendendo ataque alemãoe cortando na quadra adversária. O set foi fechado em 25 a 23para a seleção brasileira, depois de toque na rede de umjogador da Alemanha. (Edição de Pedro Fonseca)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.