Marcos de Paula/Estadão
'Vamos brigar com Canadá e Cuba pela 3ª posição' projeta Marcus Vinícius Freire, do COB Marcos de Paula/Estadão

Brasil vai ao Pan de Toronto pensando na Olimpíada do Rio

Meta do COB é levar o País ao Top 3 na competição das Américas

Marcio Dolzan e Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

04 de julho de 2015 | 17h00

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) insiste há um bom tempo que sua preocupação é ser Top 10 nos Jogos Olímpicos do ano que vem, de modo que o Pan-Americano, que será realizado em Toronto, no Canadá, servirá de laboratório para algumas modalidades. Mesmo assim, o Time Brasil – como é denominada a delegação brasileira – ambiciona um desempenho respeitável.

“Nossa primeira meta era bater os 515 classificados do Pan de Guadalajara, e isso aconteceu. Estaremos lá em Toronto com 600 atletas. A expectativa é ser Top 3. Vamos brigar com Canadá e Cuba pela terceira posição no número total de medalhas”, afirma Marcus Vinícius Freire, diretor executivo de Esportes do COB.

Será a maior delegação que o Brasil já enviou para um evento esportivo fora do País. E terá atletas de ponta, como o nadador Thiago Pereira, o ginasta Arthur Zanetti, os judocas Tiago Camilo e Mayra Aguiar, o velejador Robert Scheidt e Fabiana Murer, do salto com vara, entre outros. O Pan de Toronto contará ainda com promessas que podem se tornar grandes realidades em busca de uma medalha olímpica no Rio, como Marcus Vinicius D’Almeida, do tiro com arco, Ana Sátila, da canoagem slalom, Isaquias Queiroz, da canoagem de velocidade, e Matheus Santana, da natação.

Claro que nem todas as modalidades vão com força máxima. A ausência mais sentida é de Cesar Cielo, que vai se poupar para a disputa do Mundial de Desportos Aquáticos. No vôlei, a equipe masculina vai com um time “alternativo” devido às finais da Liga Mundial, que ocorrem nos dias 18 e 19 deste mês, no Rio. “É um ano difícil de calendário. Temos Mundial de natação, de atletismo, de ginástica, militar e universitário, então a turma tem uma agenda complicada”, pondera Freire. “Iremos com atletas tarimbados, como o Thiago Pereira, que está indo para bater o recorde de medalhas do Pan-Americano, atletas no meio do caminho e jovens atletas que vão ter essa primeira experiência.”

Aos 28 anos, a nadadora Joanna Maranhão já pode se considerar uma veterana. Será sua quarta participação no Pan, competição que ela trata com carinho e vem se preparando bem. A atleta do Pinheiros acha que pode brilhar nas cinco provas que pretende disputar. “Eu recupero muito rápido, acho que estarei bem para o Mundial”, conta a atleta, que chegou a largar as piscinas, mas depois voltou com força total. “Era um momento que a parte política estava mais latente em mim do que o amor às piscinas. Agora, as pessoas falam que estou mais leve”, diz.

O evento será realizado de 10 a 26 de julho, mas no dia 7 o Brasil já estará em ação com suas seleções de polo aquático. A cerimônia de abertura será na sexta-feira e o Brasil disputará todas as modalidades, exceto beisebol, patinação de velocidade, raquetebol, softbol masculino, squash masculino e wakeboard feminino. Nenhuma delas estará nos Jogos do Rio. Para alguns esportes, o Pan vale vaga olímpica. É o caso do hóquei sobre grama masculino – o Brasil precisa ser, no mínimo, sexto colocado. Nas provas de natação e atletismo, o Pan é uma forma de obter índice.

"Ficarmos no top 3 é uma meta factível dentro do plano nosso para este Pan, que é totalmente diferente. A cada edição a gente vai mirando classificações olímpicas, mirando pontuação importante para os Jogos, o que não é o caso agora porque faremos a Olimpíada em casa”, explica Freire.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Investimento nos Jogos de Toronto é de R$ 3,5 bilhões

Organização construiu dez novas instalações para a competição

O Estado de S. Paulo

04 de julho de 2015 | 17h00

O Canadá não poupou esforços na tentativa de fazer dos Jogos Pan-Americanos de Toronto o maior evento esportivo do país, que já recebeu a Olimpíada de Montreal (1976), os Jogos de Inverno de Calgary (1988) e os de Vancouver (2010) e também duas edições do Pan em Winnipeg (1967 e 1999). Com a grandiosidade do próximo evento, a cidade tem como objetivo consolidar sua apresentação para ser candidata aos Jogos Olímpicos de 2028. 

Toronto construiu dez novas instalações para a competição, que contará com representantes de 41 países e 6.135 atletas. Entre elas estão o centro aquático, os estádios de atletismo, futebol e hóquei sobre grama, uma raia para canoagem e o velódromo. A Vila Pan-Americana, inaugurada com antecedência, foi erguida especialmente para a disputa e será transformada em bairro.Além da região central de Toronto, as áreas de York, Durham, Peel, Halton, Simcoe, Haliburton, Hamilton e Niagara receberão algumas provas do Pan.

O orçamento total, incluindo o Parapan, é de 1,4 bilhão de dólares canadenses (cerca de R$ 3,5 bilhões), sendo que 90% do investimento foi feito com dinheiro público – 35% do governo federal, 35% da província de Ontário e 20% do governo municipal. O restante foi obtido com patrocinadores, venda de ingressos e outras receitas. O gasto é inferior ao custo de quase R$ 4 bilhões dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro em 2007.

COBERTURA TELEVISIVA

O Pan de Toronto será transmitido no Brasil pela Record, Record News e pelos canais SporTV. Os veículos de comunicação terão profissionais no Canadá e prometem uma cobertura extensa. O SporTV terá 280 horas de transmissão ao vivo e contará com um estúdio dentro do Parque Pan-Americano. Foram escalados três narradores e cinco comentaristas.

A Record enviará 80 profissionais a Toronto, tendo mais 300 pessoas envolvidas na cobertura em todo o Brasil. A equipe que vai viajar para o Pan é composta por apresentadoras, comentaristas, narradores e repórteres. A emissora promete de quatro a seis horas diárias de transmissão, além de flashes na programação, enquanto a Record News terá cerca de 20 horas diárias,  com um total de 200 horas de transmissões ao vivo.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-AmericanosPan de Toronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.