Brasileiros da luta olímpica terão que pagar do bolso para disputar Sul-Americano

Os atletas brasileiros da luta olímpica que desejarem participar do Campeonato Sul-Americano da modalidade vão ter que pagar do próprio bolso a viagem até Buenos Aires (Argentina), no mês que vem. A Confederação Brasileira de Lutas Associadas (CBLA) já avisou os lutadores que não dispõe de recursos.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

22 de outubro de 2015 | 18h26

"O Sul-Americano foi incluído no calendário da United World Wrestling (UWW, antiga FILA) apenas no decorrer do ano de 2015, não sendo possível a CBLA ter previsto no orçamento de 2015 recursos para este evento. E, como a competição não faz parte do sistema de classificação olímpica, a CBLA decidiu não enviar representantes para o torneio", explicou, em comunicado, a entidade brasileira.

Participar do Campeonato Sul-Americano, entretanto, é fundamental para os atletas brasileiros de alto rendimento. Ganhar uma medalha no evento permite a eles requererem a Bolsa Atleta na categoria internacional, que paga o dobro da categoria nacional - R$ 1.850 contra R$ 925. Num ano, a diferença é de R$ 11,1 mil.

Por isso, a comissão de atletas pediu à CBLA autorização para que os campeões nacionais viagem à Argentina por conta própria, o que foi autorizado pela confederação. A CBLA enviará técnico e chefe de equipe ao Sul-Americano, que vai de 13 a 15 de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.