Brasileiros defendem a Geórgia no vôlei de praia em Pequim

Renato Geor e Jorge Gia mudaram de nome para homenagear o país pelo qual competem

da Redação, estadao.com.br

14 Agosto 2008 | 18h08

Os paraibanos Renato Gomes e Jorge Terceiro, não sabiam onde ficava a Geórgia quando foram convidados para defender o país europeu nas Olimpíadas, conta o periódico espanhol El País.   No Brasil, a dupla não conseguia seguir carreira no esporte. Apesar do bom nível de jogo de Renato e Jorge, o número de duplas por País é limitado. Renato, que tem 27 anos, já estava abandonando o esporte. De acordo com o El País, o convite da Geórgia para assumirem dupla nacionalidade e defenderem o pequeno país do leste europeu no vôlei de praia trouxe aos jogadores prestígio, respeito e reconhecimento.   Em homenagem aos País que lhes deu a oportunidade, os dois rebatizaram seus nomes para Renato Geor e Jorge Gia.   Ainda de acordo com o jornal, a Geórgia, que não tem praias, investiu em brasileiros nessa modalidade para engordar seu fraco quadro de medalhas. Em Atenas, foram duas de ouro e duas de prata (em levantamento de peso, judô e luta greco-romana). Caso semelhante é o da dupla feminina da mesma modalidade, Cristine Santanna e Andrezza Martin. Elas eliminaram ontem a Rússia no vôlei de praia. E também mudaram de nome: são Cristine Saka e Andrezza Rtvelo, que é como se diz Geórgia no idioma local, o georgiano.   Renato e Jorge não precisaram se mudar para a Géorgia desde que tiraram dupla-cidadania. Em 2008, estiveram lá apenas uma vez. No primeiro jogo, a dupla perdeu logo para o Brasil. A vitória na partida seguinte, no entanto, garantiram a classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.