Issei Kato/Reuters
Issei Kato/Reuters

Brasileiros perdem nas quartas de final do taekwondo e agora torcem por algozes

Iris Sing e Venilton Teixeira ainda podem medalhar na Olimpíada caso seus rivais cheguem à final

Demétrio Vecchioli, Estadão Conteúdo

17 Agosto 2016 | 16h06

Os brasileiros Iris Tang Sing e Venilton Teixeira vão ter de torcer para seus algozes para continuar sonhando com medalha nos Jogos Olímpicos do Rio. Ambos foram eliminados por atletas mexicanos nas quartas de final, no primeiro dia das competições de taekwondo na Arena Carioca 3, na Barra.

Iris, que havia estreado com vitória sobre Andrea Kilday, da Nova Zelândia, foi dominada pela mexicana Itzel Adilene Bastidas por 14 a 4. A rival, prata no Pan de Toronto, ano passado, segue na competição na categoria até 49kg.

Pelo sistema de competição do taekwondo, que é diferente do judô, por exemplo, um atleta eliminado nas quartas de final só tem chance de voltar para repescagem se seu algoz chegar à final. Às 17h, a mexicana luta contra Tijana Bogdanovic, da Sérvia, de apenas 18 anos, atual campeã mundial júnior.

Já Venilton Teixeira, da categoria até 58kg, foi vencido pelo também mexicano Carlos Navarro Valdez pelo placar de 8 a 5, repetindo a derrota do Pan de Toronto. No fim da luta, em desvantagem no placar, ele chegou a irritar a torcida por não tentar buscar a vitória. Depois, explicou aos jornalistas que está com dores na perna direita, de apoio, desde a estreia, na qual venceu Ron Atias, de Israel.

A situação do amapaense de apenas 20 anos é a mesma de Iris. Ele depende de vitória do mexicano na semifinal, às 17h15, para continuar na competição. Caso seja repescado, só voltaria a lutar às 20h15. Até lá, vai tratar da lesão.

 

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.