Bush mantém planos de assistir abertura da Olimpíada

Presidente norte-americano diz que Jogos Olímpicos não devem servir como palco para política internacional

EFE

12 de abril de 2008 | 15h47

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, declarou nesta sexta-feira que mantém seus planos de prestigiar a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, contrariando a onda de protestos pela libertação do Tibet.  Veja também: O trajeto completo do revezamento da tocha pelo mundo  Os protestos e a ligação histórica com os Jogos Olímpicos "Vejo isto como uma oportunidade para apoiar os atletas norte-americanos, apenas isto. Meus planos [de ira acompanhar a abertura dos Jogos] não mudaram", disse Bush, em entrevista à ABC. Bush também repudiou a idéia de transformar a cerimônia em Pequim em um protesto. "Não considero que os Jogos sejam um acontecimento político. Considero um acontecimento esportivo. Acho que plantaram a questão da liberdade de Darfur, da Birmânia e do Dalai Lama antes do Jogos, e essa questão permanecerá durante e depois das Olimpíadas."

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008Tocha Olímpica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.