Enric Fontcuberta / EFE
Enric Fontcuberta / EFE

Caio Souza e Diogo Soares ficam sem medalha na final do individual geral na ginástica em Tóquio

Ginastas brasileiros terminam na 17º e 20º lugar, respectivamente, nesta quarta-feira; japonês Daiki Ashimoto fica com o ouro

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2021 | 11h34

A equipe brasileira de ginástica artística, na categoria masculina, saiu do Centro de Ginástica Ariake, nesta quarta-feira, sem nenhuma medalha no peito no individual geral, na Olimpíada de Tóquio-2020. Caio Souza e Diogo Soares não foram páreos às grandes apresentações do japonês Daiki Ashimoto, medalhista de ouro, que arriscou mais nas piruetas e teve mais precisão nos movimentos.

O pódio ficou completo com o chinês Xiao Ruoteng, medalhista de prata, e o russo Nikita Nagornyy, atual campeão mundial, terminando com o bronze.

Caio Souza foi bem no começo, principalmente nas argolas e no salto, suas provas preferidas no Circuito Mundial. Chegou a figurar no terceiro e no quarto lugar no ranking geral, mas os outros competidores tiveram notas ainda mais altas, elevando o nível. Terminou em 17.º, com 81,532 pontos. O atleta brasileiro foi bastante penalizado no cavalo com alças após uma queda que lhe custou muitos pontos.

O risco foi bastante pontuado nas provas da final masculina, o que fez com que Diogo Soares, mais cauteloso nos movimentos, não se destacasse e perdesse muitas posições. Mesmo assim, o ginasta brasileiro ficou feliz com o resultado.

"Eu estou muito feliz com as minhas séries. Tive alguns errinhos aqui, ou ali. Alguns aparelhos que eu tirei mais nota na classificatória, outros menos. Mas no geral estou bem feliz. Eu consegui aumentar a pontuação e era isso que eu vinha buscar”, disse o atleta, que terminou em 20.º lugar na classificação geral, com 81,198 pontos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.