Câmaras de comércio protestam por restrição a vistos na China

Governo chinês aumenta o ritmo das restrições com a proximidade dos Jogos Olímpicos; EUA e Europa se irritam

ANSA,

25 de julho de 2008 | 19h21

O Ministério das Relações Exteriores chinês aumentou as restrições para emissão de vistos, o que gerou protestos das câmaras de comércio européia e norte-americana, conforme informou nesta sexta-feira o jornal de Hong Kong South China Morning Post.As autoridades chinesas anunciaram que não irão mais emitir as cartas de convite necessárias para os pedido de visto de entrada nas cidades olímpicas de Pequim, Xangai, Qingdao, Shenyang e Qinhuangdao.À espera de um esclarecimento oficial sobre as modalidades de aplicação e sobre a duração das restrições, a Câmara Européia disse que a medida "irá causar sérios problemas às empresas estrangeiras com operam na China"."O bloqueio dos vistos até a metade de setembro é necessário para garantir uma sociedade estável e harmoniosa durante as Olimpíadas", sustenta a Comissão de Xangai para Relações Econômicas e Comércio (Smert)."Nos últimos dois meses surgiram diversos regulamentos sem nenhum aviso prévio", declarou o secretário-geral da Câmara Européia, Michael O'Sullivan, ao jornal de Hong Kong. "Mal temos tempo de analisar como nos portar frente uma determinada restrição, que logo aparece uma nova", completou.Tal preocupação é dividida por outras Câmaras de Comércio estrangeiras na China, que lamentam o aumento das restrições nos últimos meses.Desde o último mês de março Pequim suspendeu a concessão dos vistos multi-entrada, repatriou milhares de estrangeiros e por fim parou de emitir cartas de convite.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.