Cambistas poderão ir para campos de trabalho na China

Governo ameaça punião severa para quem for pego 'atrapalhando o desenvolvimento normal' do evento

Ansa

24 de março de 2008 | 09h49

Aqueles que "atrapalharem o desenvolvimento normal" das Olimpíadas de Pequim, incluindo os cambistas que revenderem ingressos a preços maiores, poderão ser mandados para os campos de trabalho chineses, informou nesta segunda-feira o jornal Notícias de Pequim citando fontes do Departamento de Segurança Pública.Veja também: Tocha olímpica inicia revezamento rumo à ChinaEm declaração dada ao jornal, um dos responsáveis pelo departamento advertiu aos revendedores não autorizados de ingressos que policiais vão vigiar as proximidades dos estádios para assegurar que não ocorram "irregularidades".Tanto a venda ilegal de ingressos quanto outros "distúrbios graves" ao desenvolvimento dos Jogos estão entre os crimes que podem ser punidos com a "reeducação através do trabalho", uma forma de punição "administrativa" que pode durar até três anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.